Gilvan de Pinho diz que juiz foi vetado pelo rival, mas Renato Cardoso já apitou jogo do Atlético em 2012

A Federação Mineira de Futebol (FMF) sorteou na tarde desta quinta-feira o árbitro que vai apitar o clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro pela décima rodada da primeira fase do Estadual. Renato Cardoso venceu o sorteio que disputou com Cleisson Veloso Pereira. O vencedor vai apitar o seu segundo clássico mineiro e, apesar de não ter agradado ao Atlético no primeiro, é o Cruzeiro quem reclama da escolha.

Veja também: Confira a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

Justamente pela reclamação atleticana que o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, não gostou da escolha. No entendimento do dirigente celeste, o juiz vai entrar pressionado por conta das reclamações alvinegras por conta do clássico da primeira fase do Mineiro em 2010. Na ocasião o Cruzeiro venceu por 3 a 1 e o Atlético-MG reclamou bastante do desempenho do trio de arbitragem. Pelo Twitter o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, chegou a prometer que tomaria providências. “Mais uma vez, fomos assaltados! Fiquem tranquilos. Tomaremos medidas definitivas”, postou o mandatário atleticano logo depois da partida que foi disputada em fevereiro de 2010.

Atlético para o clássico: Com treino secreto Cuca não dá pistas da escalação

Mais alto entre os quatro árbitros, Renato Cardoso Conceição já apitou uma partida do Atlético em 2012
Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Mais alto entre os quatro árbitros, Renato Cardoso Conceição já apitou uma partida do Atlético em 2012
Gilvan de Pinho Tavares não questiona em nenhum momento a qualidade do profissional, mas sim o motivo que fez a FMF colocá-lo no sorteio, tendo em vista que ele foi muito criticado por Kalil há dois anos. “Quando chega o momento do clássico cobra-se demais dos árbitros. Não entendo como colocaram no sorteio um árbitro que foi tão criticado pelo clube adversário em 2010. No meu entendimento é uma falta de responsabilidade imensa. Como ele vai trabalhar com o pressão dessa acusação? Como o presidente do clube adversário pediu para vetá-lo, a tendencia é que ele esteja pressionado para o jogo de domingo. Ou será que agora o presidente do outro clube resolveu aceitar esse árbitro?”, disse Tavares à Rádio Itatiaia, que revelou não ter conseguido falar o presidente da FMF, Paulo Schettino.

Cruzeiro para o clássico: Vágner Mancini comanda coletivo e escala o time no 4-4-2

“O Cruzeiro vai discutir essa escolha porque colocaram um árbitro que não é aceito pelo clube adversário. Isso vai nos colocar de sobreaviso. Acho que estamos no direito de recusar a arbitragem mineira no campeonato. Tentei falar com o presidente da FMF e ele não atendeu meus telefonemas”.

Mas o clássico deste domingo não vai ser o primeiro jogo do Atlético-MG com Renato Cardoso no apito desde então. Ele esteve em outras quatro partidas da equipe atleticana, três ano passado (Funorte, Villa Nova e Caldense) e a última neste Estadual, na estreia contra o Boa Esporte . Coincidentemente o Atlético-MG venceu os quatro jogos, mas é uma prova de que o árbitro não foi vetado pelo rival alvinegro, como disso Gilvan de Pinho.

Renato Cardoso Conceição já esteve no apito em outras 12 partidas do Atlético-MG pelo Campeonato Estadual. Apesar de ter ficado marcado por conta das reclamações de Alexandre Kalil e do então técnico atleticano Vanderlei Luxemburgo , o time alvinegro tem bom retrospecto com ele na arbitragem. Nas 12 partidas foram sete vitórias, dois empates e três derrotas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.