Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Árbitro cita na súmula o celular jogado no campo por cruzeirense

Cleisson Veloso Pereira citou o celular atirado no gramado, mas não registrou a pedrada em Renan Ribeiro

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

A súmula da partida entre Cruzeiro e Atlético-MG pode tirar a equipe celeste da Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O árbitro Cleison Veloso Pereira citou que um celular foi atirado no gramado pela torcida presente no estádio. O aparelho, aliás, foi entregue pelo juiz ao quarto árbitro. Além dos objetos atirados em campo, fora do estádio dois cruzeirenses quebraram uma janela do ônibus do Atlético-MG.

O goleiro Renan Ribeiro, do Atlético-MG, foi o jogador que mais sofreu com a ação dos vândalos presentes nas cadeiras da Arena do Jacaré. Antes de começar o segundo, o goleiro atleticano levou uma pedrada na coxa direita.
“Infelizmente os torcedores jogaram celulares e pedras no gramado, uma até acertou em mim. Acho que isso não vale a pena, tem de vir para torcer para o seu time e não para prejudicar o time deles”, disse o goleiro do Atlético-MG, que também comentou como foi a reação da delegação atleticana no momento da pedrada que quebrou o vidro do ônibus.

“Foi um susto grande. Estávamos descendo e tomamos pedradas, celular, cerveja, mas viemos com o objetivo de vencer e conseguimos”.

Com a citação do celular atirado no gramado, o TJD-MG vai analisar o caso. Se for entendido que é necessário, o Cruzeiro pode ser julgado e perder o mando de campo em Sete Lagoas. Já pelo caso do ônibus o clube não pode ser punido, pois ocorreu fora do estádio, além da polícia ter identificado e prendido os responsáveis. O Atlético-MG informa que apenas registrou a ocorrência, junto à Polícia Militar.
 

Leia tudo sobre: Atlético-MGCampeonato Mineiro 2011Cruzeiro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG