Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Arbitragem polêmica marca vitória do United sobre o City

Na casa do City, United superou o rival de Manchester por 3 a 2 e garantiu vaga na fase seguinte da Copa da Inglaterra

Gazeta |

Em uma partida recheada de lances polêmicos e inusitados, o Manchester United sufocou o City e garantiu a eliminação de seu maior rival da Copa da Inglaterra. Em meio a arbitragem duvidosa e o retorno de Paul Scholes aos Diabos Vermelhos, os comandados de Alex Ferguson conseguiram uma vitória por 3 a 2, fora de casa, e amenizaram a pressão exercida por seus torcedores.

Veja também: Tottenham bate clube da 4ª Divisão e segue na Copa da Inglaterra

Mesmo diante da torcida de seu adversário, o United cresceu dentro de campo no primeiro tempo e massacrou o setor defensivo de seu adversário. Aos 10 minutos, a equipe realizou uma grande troca de passes no meio-campo e a movimentação de Rooney foi o diferencial para que a equipe saísse à frente no marcador. O atacante recebeu de Giggs, achou Valencia na lateral e correu para dentro da área, cabeceando firme para o fundo das redes.

Superior em campo, os Diabos Vermelhos ainda foram ajudados pela polêmica expulsão do zagueiro Kompany . Dois minuto após o gol, o defensor dos Citizens desarmou Nani com um carrinho e acabou recebendo o cartão vermelho do árbitro da partida. Para justificar sua decisão, o juiz alegou que o jogador usou força desnecessária na jogada, mas passou a ser pressionado pelos atletas da casa, uma vez que o português nem chegou a cair no chão após a dividida.

Com um a mais, o Manchester United conseguiu diminuir os espaços de seu rival e passou a exercer uma pressão ainda maior no campo defensivo dos adversários. A investida que culminou no segundo gol dos visitantes começou após uma nova troca de passes do ataque e acabou com um bonito voleio de Welbeck, que impossibilitou qualquer defesa do goleiro Pantilimon.

Dois minutos após o tento anotado, Welbeck recebeu um cartão amarelo após uma trombada no meio-campo e se revoltou novamente com a atitude do juiz. Perdido em campo, o árbitro assinalou pênalti para o United aos 39 e acabou não mostrando nenhuma advertência para Kolarov, que derrubou seu adversário com um novo carrinho dentro da área.

Em meio às reclamações de ambas as partes, o inglês sinalizou para que Rooney cobrasse a penalidade e viu o goleiro Pantilimon se esticar todo para defender. Entretanto, o rebote sobrou na cabeça do centroavante, que não perdoou e marcou o terceiro do United no primeiro tempo.

Inconformados com o resultado adverso, o Manchester City foi para os vestiários com a obrigação de reverter a elástica vantagem que seu adversário tinha aberto. A conversa com Roberto Mancini surgiu efeito e, logo aos três minutos, Kolarov pôde se redimir com a torcida e acertou um belo chute na cobrança de falta, descontando para os donos da casa.

O gol sofrido fez Alex Ferguson realizar mudanças na equipe e a principal delas foi o retorno de Paul Scholes. O jogador, que havia anunciado a sua aposentadoria no ano passado, atendeu ao chamado do treinador e integrou o grupo que mediu forças com o City. Ovacionado pela torcida, o experiente atleta entrou no lugar de Nani, mas não teve uma participação feliz na partida.

Sem ritmo de jogo, o volante falhou na marcação e deixou de cobrir espaços no meio-campo. Aproveitando a fragilidade defensiva do jogador, o meia James Milner achou Aguero, que precisou finalizar duas vezes para vencer Lindegaard e incendiar os minutos finais da partida.

Mesmo com a possibilidade de empatar o jogo e reverter a eliminação dentro de casa, o Manchester City não conseguiu converter a pressão imposta em gols e a desvantagem numérica foi determinante para que os anfitriões não conseguissem chegar a igualdade. Com isso, o United está classificado para a próxima fase da Copa da Inglaterra, enquanto os comandados de Roberto Mancini sofrem com uma nova eliminação na temporada.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG