Nenhum time com 33% de aproveitamento escapou da degola desde que a competição mudou a forma de disputa

Com 11 pontos em 33 disputados, o Atlético-MG tem apenas 33% de aproveitamento e está na 15ª colocação . No entanto, o que deixa o time mineiro fora da zona de rebaixamento é o péssimo desempenho de seus adversários. Desde que o Brasileirão passou a ser disputado por 20 clubes, em 2006, jamais o 17º colocado tinha menos de dez pontos depois de 11 jogos, como tem o Atlético-GO , com apenas nove.

Siga o iG Atlético-MG no Twitter e receba todas as informações do seu time

Com os atuais 33% de aproveitamento, o Atlético-MG não conseguiria se manter na Série A em nenhum dos campeonatos disputados na era dos pontos corridos. Nem mesmo na edição de 2003, quando apenas dois clubes foram rebaixados. O Fortaleza, o penúltimo colocado, teve aproveitamento de 35% dos pontos disputados.

Entre para a Torcida Virtual do Atlético-MG e convide seus amigos

Um bom exemplo de como a zona de rebaixamento está mais fraca do que anos anteriores, pelo menos nas rodadas iniciais do Brasileiro, é comparar o lanterna atual com o América-RN, time com a pior campanha no Brasileirão desde 2003. O time de Natal fez apenas 17 pontos em 38 jogos, um pífio aproveitamento de 15%. Porém, o América-RN tinha sete pontos em 11 jogos, enquanto na atual edição o Atlético-PR é o último colocado, com somente 5 pontos.

Veja o desempenho do 17º colocado nos últimos cinco anos:

Ano Time
Pontos Aproveitamento
2006 Ponte Preta 39 34%
2007 Corinthians 44 38%
2008 Figueirense 44 38%
2009 Coritiba 45 39%
2010 Vitória 42 36%

A tendência é que o rendimento das equipes que lutam contra o rebaixamento tenha um crescimento. Apesar da situação complicada e delicada, a diretoria do Atlético-MG mostra total confiança no trabalho do técnico Dorival Júnior .

“Não vamos falar satisfeitos (com o trabalho de Dorival) porque estamos em 15º. Mas é um técnico que tem nossa confiança, que pode nos tirar dessa situação e continuamos com ele”, disse o diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, depois da derrota para o Vasco.

Pronto para estrear pelo novo clube , o atacante André garante não temer a pressão pela qual o time passa neste momento. Segundo o atacante do Atlético-MG, o que faz a bronca da torcida de ser maior é o tamanho do clube mineiro. “Pressão sempre tem, ainda mais se tratando de Atlético. Ela se torna maior pelo mau momento, mas o grupo está unido e vai sair desta situação”.

Se o André não tem uma semana de Atlético-MG e já mostra conhecer o clube, o zagueiro Werley é a pessoa mais apropriada a falar sobre esse momento. Ao lado de Serginho , ele é o jogador com mais tempo seguido no elenco alvinegro. Para o defensor atleticano, que deve ser titular contra o Fluminense , o momento atual é bem diferente com o do ano passado, quando time lutou para não cair. Além de elogiar o grupo de jogador, Werley não quer saber sobre Série B.

“No ano passado tivemos muitas dificuldades, sempre derrota atrás de derrota, o que gera uma desconfiança muito grande. No grupo de hoje é diferente, a confiança é outra e nós não podemos perdê-la. Temos de parar de pensar em Segunda Divisão. Temos de procurar vencer e brigar por algo maior, porque o Atlético tem contratado, tem um bom elenco para estar na parte de cima e não tem acontecido as vitórias que nós tanto necessitamos. Nada melhor do que jogar uma partida importante contra o Fluminense em casa para começar uma caminhada no Brasileiro”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.