Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após sumiço, Perrella vai ao jogo e ganha presente de argentino

Presidente do Cruzeiro é o chefe da delegação da do Brasil, em Doha. Do Catar, ele divulgou carta criticando a Comissão de Arbitragem da CBF

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860441895&_c_=MiGComponente_C

Depois de não comparecer aos dois treinamentos da seleção brasileira em Doha e evitar falar com a imprensa, Zezé Perrella apareceu no estádio Khalifa, local do amistoso entre Brasil e Argentina. Ao lado do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, o dirigente do Cruzeiro chegou à tribuna de honra 30 minutos antes do jogo começar. Tempo suficiente para receber um presente das mãos do diretor executivo da AFA (Associação Argentina de Futebol).

Na última terça-feira, Perrella não foi ao treinamento da seleção brasileira no estádio Khalifa, local do jogo contra a Argentina. Um dia antes, o dirigente divulgou uma carta criticando a Comissão de Arbitragem da CBF e chamando o seu presidente, Sergio Correa, de incompetente.

Ainda na segunda-feira, ele não compareceu ao primeiro treinamento da seleção brasileira no Catar. Ele alegou estar com dor de cabeça, disse o responsável pela logística da CBF. Ele tem motivos para isso, brincou um funcionário que ouviu a explicação.

Até mesmo o técnico Mano Menezes entrou na brincadeira. Em conversa com os jornalistas, ele revelou que o dirigente do Cruzeiro pediu para que ele não dissesse que houve pênalti em Ronaldo, na partida de domingo, no Pacaembu.

A reportagem do iG tentou entrevistar Zezé Perrella no hotel da seleção brasileira em Doha. Agora eu vou almoçar, depois volto aqui e falo com vocês. Estou sem comer desde ontem (segunda-feira), afirmou o cartola, que depois sumiu.

Desde a última eleição do Clube do 13, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, tem convidado dirigentes de clubes que votaram a favor do candidato Kleber Leite para chefiar a delegação do Brasil. O ex-presidente flamenguista acabou sendo derrotado no pleito. Andrés Sanchez, do Corinthians, Luiz Álvaro de Oliveira, do Santos, e Mauricio Assunção, do Botafogo, foram os escolhidos para viajar com a seleção brasileira antes de Zezé Perrella.

Leia tudo sobre: cruzeiroseleção brasileira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG