Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após soco, Leandro Castán diz que Thiago Heleno o inveja

Zagueiros brigaram dentro de campo e corintiano pede mais: “Da próxima vez bate mais forte”

Marcel Rizzo, iG São Paulo |

nullDentro de campo, o zagueiro Leandro Castán levou um soco do palmeirense Thiago Heleno durante a confusão iniciada em dividida de Jorge Henrique e João Vitor. Fora dele, e com o filho no colo, Castán disse que o rival deve ter inveja dele. Desde a época da categoria de base em Minas Gerais.

Veja também: Corinthians empata com o Palmeiras e é pentacampeão brasileiro

“Eu saí lá de trás para ajudar o Jorge (Henrique), que estava no meio da confusão. E aí me falaram que o Thiago Heleno me deu um soco por trás. Mas é assim, eu ganho dele desde a época na base do Cruzeiro, ele tem inveja de mim”, disse Castán, que começou a carreira no Atlético-MG, enquanto Heleno estava no Cruzeiro.

Confira ainda: Conheça todos os heróis do pentacampeonato brasileiro

Os dois se encontraram novamente, mas desta vez no mesmo time, em 2010 no Corinthians. Heleno não teve sucesso, foi dispensado e acabou no Palmeiras. “Talvez seja isso também, [éramos da mesma posição no Corinthians e ele saiu. Mas não doeu nada, foi fraquinho. Da próxima vez bate mais forte, tá Thiago?”, disse Castán.

Veja classificação final, com definições das vagas na Libertadores e do rebaixamento

O zagueiro afirmou que a partida deste domingo foi a mais importante de sua carreira. “Temos que ressaltar o título do Corinthians, que foi conquistado por causa da união desse grupo. Saio daqui campeão brasileiro, algo que realmente não imaginava que fosse acontecer em minha carreira”.

Ao lado, Paulo André também falava sobre a importância de ser campeão. Quase dispensado ao final de 2010, ficou no clube a pedido de Ronaldo, seu amigo. Acabou como titular e ainda foi capitão em algumas partidas – deve dividir com Chicão e Alessandro o ato de levantar a taça em festa que será promovida pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), em São Paulo.

“Foi um título dividido, eu mesmo fiquei no banco em algumas partidas. Foi o mérito do Tite, que criou uma competitividade e ao mesmo tempo amizade entre os jogadores que resultou nesse grupo campeão”, disse André.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG