Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após renúncia de Teixeira, ministro do Esporte evita críticas

Tanto em nota oficial quanto em entrevista, Aldo Rebelo se limita a falar sobre a manutenção de bom ambiente para a Copa 2014

iG São Paulo |

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, passou a segunda-feira em São Paulo, onde tomou conhecimento da renúncia de Ricardo Teixeira à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local da Copa 2014 (COL).

Tanto na curta nota oficial divulgada logo após o anúncio, quanto em entrevista concedida mais tarde, Rebelo evitou análises profundas sobre o tema e se limitou a dizer que a prioridade é a organização da Copa 2014.

"Não cabe ao governo avaliar a alteração na direção de uma entidade que tem autonomia, que é ligada ao setor privado. O governo não possui nenhum argumento legal para interferir. O que há é um ambiente de cooperação para a realização da Copa do Mundo", disse o ministro.

LEIA MAIS: Em carta, Ricardo Teixeira anuncia saída da CBF

Rebelo prosseguiu: "Eu não estou aqui para oferecer a minha opinião pessoal (sobre Teixeira). Falo e ajo como ministro. Já tive minha responsabilidade como deputado, presidi uma CPI que cumpriu o seu papel. E hoje como ministro do esporte tenho que realizar a Copa do Mundo", sobre os motivos da renúncia, poupou palavras. "Eu não li a carta de renuncia, onde deve estar o motivo."

Aldo Rebelo presidiu a CPI da CBF/Nike, que levantou denúncias contra Teixeira. Na época, há dez anos, o dirigente quase deixou o cargo da entidade, o que acabou ocorrendo nesta segunda-feira.

Na nota oficial divulgada antes da entrevista, o ministro manteve a mesma linha: "Diante do anúncio da nova liderança do Comitê Organizador Local (COL) para a Copa do Mundo de 2014, o Ministério do Esporte reafirma sua determinação de continuar cooperando com a entidade responsável pela organização do Mundial. Seguiremos trabalhando em harmonia para o êxito das tarefas comuns necessárias ao sucesso do evento", diz a nota do Ministério do Esporte.

VEJA TAMBÉM: Romário comemora e diz que "Teixeira era câncer do futebol"

Ricardo Teixeira esteve por 23 anos à frente da CBF. Com a sua saída, José Maria Marin assume o cargo, com mandato até 2015.

Confira imagens da passagem de Ricardo Teixeira pela CBF:

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG