Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após reerguer rival, Palmeiras tenta dar férias ao Corinthians

Nos últimos jogos, Palmeiras ressuscitou o Corinthians, que se perder domingo ficará 20 dias de folga

Bruno Winckler e Danilo Lavieri, iG São Paulo |

AE
Alessandro comemora gol da vitória no último dérbi
Nas duas últimas vezes que Corinthians e Palmeiras se enfrentaram, o time do Palestra Itália teve a chance de afundar o rival do Parque São Jorge numa crise, mas não o fez. Em outubro de 2010, quando Tite estreou, o Corinthians vinha de sete jogos seguidos sem vencer e interrompeu a série contra o Palmeiras, se mantendo na briga pelo título. Venceu por 1 a 0, gol de Bruno César.

Neste ano, quatro dias depois de ser eliminado na Libertadores, o Corinthians pegou o Palmeiras e mais uma vez, ao invés de entrar numa crise profunda, venceu o arquirrival. Marcos, após o jogo, comentou que não poderiam ter deixado o Corinthians ressuscitar de novo. “A gente podia aumentar a crise deles, mas nós os ressuscitamos”, disse o capitão palmeirense. Alessandro marcou o gol solitário da vitória corintiana no dia 6 de fevereiro.

Domingo, o Palmeiras tentará deixar de lado sua sina recente de reerguer o rival para ao invés disso dar a ele férias forçadas de 21 dias sem jogos. Se o Corinthians não vencer este jogo ficará sem compromissos oficiais até o dia 22 de maio, data da estreia da equipe no Campeonato Brasileiro, contra o Grêmio.

“Não pensamos nisso. Só pensamos na vitória. Nosso planejamento é um só. Vencer e ir a final. E esperamos que a gente consiga vencer o Palmeiras mais uma vez”, disse Tite, com aproveitamento 100% contra o rival nesta sua segunda passagem pelo clube. "Nosso foco é vitória. Até por causa dessa possibilidade (de ficar sem jogar) a gente precisa vencer", disse o volante Paulinho.

No Palmeiras, a rivalidade é tão grande que a vitória é apontada como algo mais importante do que o próprio título.  "A rivalidade entre os dois clubes é muito grande. É muito importante o jogo. Foi o jogo que eu mais gostei de fazer e infelizmente perdemos na primeira vez. A rivalidade é muito grande. Então, se a gente ganhar do Corinthians, a felicidade do torcedor vai ser imensa, mesmo que a gente perca a final", disse o lateral-direito Cicinho.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG