Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após polêmica, William pede árbitros profissionais

Apesar de remunerados, juízes brasileiros não têm registro em carteira de trabalho e, quando não estão apitando, se dedicam a outras profissões

Agência Estado |

A arbitragem é um dos temas mais discutidos por todas as equipes que tem algum objetivo nesta reta final do Campeonato Brasileiro. No entanto, os juízes de futebol e seus auxiliares não são profissionais. Apesar de serem remunerados, não têm registro em carteira de trabalho e, quando não estão apitando, se dedicam a outras profissões. A situação incomoda William, capitão do Corinthians, líder do Brasileirão.

"O que me preocupa é a morosidade em profissionalizar os árbitros do Brasil. Sempre ouço falar desta ideia e nunca ninguém apresenta uma proposta concreta", diz o zagueiro. Para William, é um absurdo que, nos jogos de futebol, todos sejam profissionais - jogadores, comissão técnica, imprensa - menos a arbitragem. "Estamos prestes a receber uma Copa do Mundo e seguimos muito atrasados neste setor".

Para o confronto do próximo domingo, contra o Vitória, em Salvador, o juiz será Carlos Eugênio Simon. No jogo do Cruzeiro, que recebe o Vasco no mesmo dia, o árbitro escolhido foi Leandro Vuaden. Após a polêmica do último sábado (os mineiros reclamaram muito da arbitragem na derrota diante do Corinthians por 1 a 0), os jogadores querem esquecer o assunto.

"Não gosto de focar no árbitro, não é o mais importante da partida", declara William. "Nós só temos que fazer nossa parte e esperar que o Simon tenha um bom jogo também", completa o meia Danilo, que será titular diante do Vitória, no lugar do suspenso Bruno César.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthiansstjd

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG