Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após erros e taça, Júlio César se indica como palestrante de superação

"Tomei umas pancadas e não caí, soube superar as dificuldades", relembrou o goleiro do Corinthians

Gazeta |

Titular do Corinthians há um ano e meio, Júlio César começou o Brasileiro com a posição ameaçada. Já tinha falhado na última rodada da liga nacional do ano passado, no empate por 1 a 1 com o Goiás, e voltou a errar na final do Paulistão, na derrota por 2 a 1 para o SantosRenan chegou a ser contratado para tomar seu lugar. Mas o goleiro não só manteve sua vaga no time, como foi campeão. E virou exemplo.

Infográfico: 50 números curiosos sobre o Brasileirão 2011

"Se alguém precisar de um palestrante sobre superação, pode ter certeza que estou pronto", avisou Júlio César durante a gravação de programa da TV Gazeta, abrindo um largo sorriso pelo fim de temporada. "A sensação é de alívio total, de dever cumprido. Estou com uma paz interior muito grande."

O camisa 1 já havia dito que precisava do título para deixar de ser tão contestado. "Consegui tudo com experiência, aprendizado. Tomei umas pancadas e não caí, soube superar as dificuldades. Isso faz um grande atleta e te deixa cada vez mais forte para buscar seus objetivos", ensinou.

Neste discurso, deixa uma mensagem de agradecimento ao seu técnico. "O Tite foi fundamental, me ajudou muito. Quando mais precisei de alguém para dar uma palavra de conforto, foi ele que me chamou na sala dele para conversar. Batemos um papo e ele me disse: 'você é meu goleiro, vai lá e joga porque tenho toda confiança em você'."

Com a confiança do chefe, foi campeão brasileiro pela segunda vez, embora minimize sua pequena participação na conquista em 2005. "2011 foi um ano de afirmação para mim. Fui campeão brasileiro, indicado na maioria dos prêmios como melhor goleiro. Estou muito feliz por tudo que consegui", celebrou.

Até por isso, ele fez festa em campo antes mesmo do fim do jogo com o Palmeiras ao saber que o Vasco havia empatado com o Flamengo. "Comemorei durante um escanteio. Meus companheiros até brigaram comigo, o Alessandro falou para não comemorar, mas eu já sabia que era campeão e isso estava engasgado. Foi fantástico", contou.

Leia tudo sobre: brasileirão 2011julio césarcorinthians

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG