Tamanho do texto

Time do Parque São Jorge segue em má fase após perder para o Palmeiras por 2 a 1

selo

Com a derrota deste domingo no clássico diante do Palmeiras, por 2 a 1, em Presidente Prudente, o Corinthians não conseguiu a reabilitação no Campeonato Brasileiro e segue em má fase. Foram apenas nove pontos nas últimas nove partidas, o que aumenta a pressão sobre o técnico Tite. Mesmo assim, ele se diz "tranquilo" no cargo.

"Quero ter discernimento no meu trabalho. Tenho títulos nacionais e internacionais, mas dou o direito a quem comanda de avaliar meu trabalho. Mas estou muito tranquilo comigo mesmo. Já venci cinco clássicos entre Palmeiras e Corinthians. É o primeiro que eu perco. Mas abaixo a cabeça e aceito a responsabilidade", declarou.

null

Siga o Twitter do iG Corinthians e receba as notícias do seu time em tempo real

Apesar da tranquilidade, o treinador admite que, se a fase não mudar, a pressão sobre ele pode se tornar insustentável. "O técnico tem que saber suportar, é a primeira vidraça. É assim a cultura do futebol, em qualquer lugar do mundo. Mas a responsabilidade é de todos nós", afirmou.

A aparentemente inexplicável queda de rendimento da equipe tem justificativa para Tite. De acordo com o técnico, a perda de peças importantes, como Alessandro, Welder, Fábio Santos, Alex e Liedson, ao longo do campeonato atrapalhou o desempenho.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte


"Nós perdemos peças e assim a engrenagem da equipe também foi perdida. Hoje (domingo) não tivemos nenhum lateral-direito (o zagueiro Wallace foi improvisado no setor), então quando precisamos de uma saída a mais, não tivemos", avaliou. "Quando se tem um time ajustado, ele joga sem pensar. Quando começamos a fazer alterações, isso muda", explicou.

Mesmo com todos esses problemas, Tite vê motivo para comemorar, já que o Corinthians terminou o primeiro turno do Brasileirão na liderança, com 37 pontos. "Terminamos em primeiro no primeiro turno, mesmo com todos esses problemas. Mas sabemos que precisamos recuperar", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.