Tamanho do texto

Blatter reclamou do atraso na organização da Copa do Mundo de 2014. Orlando Silva disse que cartolas precisam conhecer país

AFP
Presidente da Fifa criticou atrasos na organização do Mundial do Brasil
O Ministro do Esporte, Orlando Silva, minimizou, nesta segunda-feira, as críticas feitas pelo presidente da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), Joseph Blatter, à organização da Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil. O dirigente da entidade máxima do futebol afirmou que o país está mais atrasado do que a África do Sul estava antes do torneio de 2010. Orlandro Silva rebateu essa crítica e afirmou que Blatter devia visitar o Brasil para ganhar confiança do que está sendo feito.

"Vou convidar o presidente da Fifa pra visitar o Brasil. Estamos com obras em pleno em vapor em dez dos doze estádios. Quando ele conhecer o Brasil, tenho certeza que ficará mais seguro", afirmou o ministro, reconhecendo, porém, que os estádios em São Paulo e no Rio Grande do Norte ainda não saíram do papel.

O Ministro participou de um encontro com o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e concendeu uma entrevista coletiva logo depois. Apesar das palavras positivas, ele afirmou que o transporte é sua principal preocupação em relação ao mundial.

"70% dos projetos (de transporte) precisam iniciar em 2011. Ainda temos a situação dos aeroportos, que é uma novela de muitos capítulos, mas felizmente a presidenta Dilma apresentou inovações na gestão e mudanças na Infraero", disse Orlando Silva.

O Ministro evitou comentar sobre a possibilidade exclusão de uma das cidades que foram escolhidas para ser sedes da Copa. "Quem escolheu Natal como sede foi a Fifa. Quem escolheu os locais de abertura e encerramento foi a Fifa. Então qualquer mudança sobre isso quem definirá é a entidade", afirmou.

‘Puxão de orelha”

Em entrevista nesta segunda-feira, Joseph Blatter criticou a lentidão das obras no Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014. "É necessário acelerar os preparativos, pois a Copa do Mundo será amanhã, e os brasileiros estão pensando que será depois de amanhã", criticou o suíço.

Mesmo escolhido para receber a abertura do torneio, a nova arena do Corinthians ainda não saiu do papel, assim como a Arena das Dunas, em Natal, capital potiguar. Blatter ainda apontou as deficiências na infra-estrutura das sedes, com destaque para os aeroportos.