Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após criticar Fifa, Putin justifica ausência em Zurique

Primeiro-ministro russo diz que sua presença na sede da entidade seria pressão inaceitável sobre o comitê que elegeu as sedes das Copas 2018 e 2022

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854508335&_c_=MiGComponente_C

Em meio a euforia provocada pela conquista do direito de sediar a Copa do Mundo de 2018, o primeiro-ministro russo Vladimir Putin recuou e condenou as acusações de corrupção sofridas pela Fifa durante a semana, creditando a elas o motivo de sua ausência na cerimônia de escolha do país-sede, em Zurique, na Suíça.

"Há pessoas que foram acusadas de corrupção, e foram acusados sem nenhum motivo ou fundamento. (Minha ida) tratava de uma forma de pressão contra os membros da Fifa, algo inaceitável. Trata-se de um exemplo de concorrência desleal", explicou Putin à imprensa russa, depois de conceder a Igor Shuvalov, vice-primeiro ministro, a chance de representar o país no pleito.

Reuters
Vladimir Putin voou até Zurique após o anúncio das sedes e participou de coletiva

"Entendemos que deveríamos dar aos membros da Fifa a chance de tomar sua decisão sem pressão externa e de maneira objetiva", contou, prometendo ir até a sede da Fifa em breve após ver pela TV seu país vencer a eleição.

"Vou a Zurique. Havia prometido aos membros do Comitê Executivo que iria sem falta caso a Rússia vencesse para agradecer aos votantes e divulgar o projeto russo para a Copa. A Rússia ama o futebol e o país tem tudo que precisa para que o Mundial de 2011 ocorra em alto nível", contou.

Leia tudo sobre: copa do mundofutebol internacionalrússia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG