Jogadores alviverdes disseram que árbitro se declarou corintiano. Punição pode ser de 6 meses

Jogo no interior paulista foi quente
Divulgação
Jogo no interior paulista foi quente
O jogo entre Palmeiras B e União Barbarense, no último domingo, pelo Paulista A2, terminou mal. Após virada da equipe do interior, os jogadores alviverdes partiram para cima do árbitro Leomar Oliveira Neves e a confusão foi terminar na delegacia de Santa Bárbara d'Oeste. Os palmeirenses acusam o árbitro de ter se revelado corintiano e ter apitado de maneira tendenciosa, marcando pênalti inexistente e alterando o local da falta que terminou no gol da vitória por 2 a 1 dos mandantes, aos 49min do 2º tempo. Leomar fez exame de corpo de delito após a partida e relatou agressões na súmula. O entrevero pode acabar em gancho pesado no TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Pauo).

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Estamos elaborando o DVD com os lances do jogo, mas deve demorar um pouco, o que vai dar chance para o Palmeiras se defender. Assim que estiver pronto, será encaminhado ao TJD, que vai decidir depois. O gancho pode ser pesado, pois nada justifica a agressão ao árbitro, independente da atuação dele. Cada um vai pagar pelo que fez", disse ao iG o presidente da Comissão de Arbitragem da FPF (Federação Paulista de Futebol), Coronel Marcos Marinho. Leomar expulsou cinco atletas do Palmeiras B (Pegorari, Luiz Gustavo, Marcos Paulo, Marcos Vinícius e Thalles) após a confusão. A punição mínima em casos de agressão é de seis meses de suspensão. Veja os lances e opine :

O árbitro Leomar Oliveira Neves também terá sua atuação analisada pela FPF e pode ser suspenso caso a entidade avalie que o árbitro cometeu erros em demasia ou propositais. "O próprio juiz da partida disse que era torcedor do Corinthians para os nossos atletas e que estaríamos ferrados. Foi isso durante o jogo todo, segundo o relato dos atletas. Fomos claramente lesados nos nossos interesses pelo desequilíbrio de um árbitro despreparado e que agiu de má fé. Vamos protestar contra ele junto a Federação Paulista de Futebol”, disse Jair Jussio, diretor de futebol de base do Palmeiras.

PROBLEMA: Sem medo de perder Dybal para o Corinthians, Palmeiras admite dívida

Confusão no jogo acabou na delegacia
Reprodução
Confusão no jogo acabou na delegacia
Na súmula, o árbitro diz que ficou com hematomas: "Após o término da partida, os jogadores e comissão técnica do Palmeiras B vieram em minha direção de forma acintosa reclamando e agredindo fisicamente, sendo possível a identificação de 4 atletas: - número 3 Sr. Luiz Gustavo Tavares Conde, atingiu-me com uma voadora, atingindo o lado esquerdo de minha barriga, deixando hematomas, vide ficha Ambulatorial 1302 do PS municipal de Santa Bárbara do Oeste - número 1 Sr. José Guilherme Guidolin Pegorari com as duas mãos em meu peito, empurrou-me para trás e disse as seguintes palavras "Você não é homem, filho da p..., f... com nois (sic)" - número 4 Sr. Marcos Vinicius Gomes Nascimento, atingiu-me com um chute no joelho esquerdo - número 8 Sr Marcos Paulo de Souza atingiu-me com um tapa no pescoço". Leomar também fez Boletim de Ocorrência na delegacia.

REFORÇO: Cicinho volta aos treinos e pode ficar à disposição de Felipão

Com 18 pontos após 16 rodadas, o Palmeiras B ocupa a 14ª colocação da Série A2 do Estadual e corre risco de cair para a Terceira Divisão.

Ajude o Palmeiras a aumentar sua torcida virtual

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.