Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Após atuação de gala, Neymar pede: me deixem quietinho no Santos

Atacante foi assediado pela imprensa britânica após marcar dois gols contra a Escócia

Marcel Rizzo, enviado iG a Londres |

“Só me deixa quietinho lá no Santos”, foi a resposta de Neymar quando perguntado se a atuação contra a Escócia abriria caminho para uma negociação com a Europa. Em sua estréia em solo europeu, o atacante marcou dois gols na vitória brasileira e encantou a imprensa estrangeira, que ainda o conhecia pouco.

“O estádio é lindo, o gramado perfeito, mas quero voltar aqui por enquanto só para jogar pela seleção”, disse o jogador, quando deixou o vestiário do Emirates Stadium, campo do Arsenal, com um fone de ouvido pendurado no pescoço quase maior que sua cabeça. Pretendido pelo Chelsea, clube de Londres, no ano passado, Neymar acabou renovando contrato com o Santos até 2015, ganhou um aumento, mas seu nome sempre circula como pretendido por grandes times do continente.

Os gols foram dedicados aos pais, Neymar e Nadine, que estavam no estádio. Seu pai o tem acompanhado em todas as viagens, inclusive com a seleção. Ele fica hospedado no mesmo hotel, mas só tem contato quando permitido pelo técnico Mano Menezes.

“Tinha que fazer dois porque dessa vez minha mãe está aqui. Ainda bem que deixaram bater o pênalti”, disse o atacante, que recebeu a bola das mãos de Elano, cobrador oficial no Santos, clube que defendem juntos. “Eu sofri o pênalti, merecia bater”, disse, brincando.

Vaiado quase o tempo todo pelos escoceses, Neymar disse que só percebeu na hora da cobrança do pênalti. Os torcedores consideraram que ele encenou uma lesão, ainda no primeiro tempo, e a partir daí toda vez que ele tocava na bola era vaiado. “Foi alto o som, mas é normal, tinha mais torcedores deles. Faz parte”, disse o atacante. Ao final do jogo, uma banana foi arremessada em sua direção.

Mano Menezes preferiu não cravar que Neymar será titular a partir de agora ou que é o protagonista que a seleção procura. “Não podemos dar responsabilidades excessivas. É um jogador importante, mas protagonismo pode ser visto de outra maneira também”, disse o treinador. Neymar foi titular em dois jogos, dos três que participou. Tem três gols com o dois deste domingo (o outro foi contra o Estados Unidos, em agosto de 2010).
 

Leia tudo sobre: seleção brasileiraneymarfutebol mundialsantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG