Treinador comentou que é preciso dar mais uma chance para o esquema e para os jogadores. Preocupação é perder o meio de campo para os paraguaios

Os jogadores da seleção brasileira que concederam entrevista no início da tarde desta sexta-feira, em Córdoba, quiseram manter o mistério elaborado por Mano Menezes sobre possíveis mudanças para enfrentar o Paraguai neste sábado, 16h, mas o treinador manterá a equipe que começou jogando no empate contra a Venezuela, 0 a 0, na estréia da Copa América . Em conversa informal na manhã desta sexta, o próprio Mano comentou que é preciso dar mais uma chance para o time que imaginou engrenar.

Com isso, o Brasil entrará em campo contra os paraguaios com Julio Cesar; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos, Ramires, Lucas Leiva e Paulo Henrique Ganso; Robinho, Alexandre Pato e Neymar. E por que então ele testou Elano e Lucas no treinamento de quarta-feira, em Los Cardales? Porque o Paraguai joga com quatro marcadores no meio de campo e Mano teme que o seu 4-3-3 o faça perder o setor. Caso isso ocorra, o santista entrará ainda no intervalo.

“Nosso time está bem preparado, montado de uma maneira correta. Acho que podemos fazer uma boa partida porque passou a estreia, sempre tensa, e o Paraguai joga mais com a bola do que a Venezuela, o que pode nos dar espaço”, disse Elano, que como candidato a jogar foi um dos entrevistados em Córdoba.

O papo
Na quarta-feira, Mano conversou por mais de 20 minutos com os titulares, mais uma prova de que não pretende mudar nem esquema, nem jogadores, pelo menos nos primeiros 45 minutos no estádio Mário Alberto Kempes. André Santos contou que o posicionamento dele será um pouco diferente, por exemplo.

“Entrar mais em diagonal. Mano não quer mais todo mundo tão distante, os atacantes, o Ganso e os laterais. Temos que nos aproximar para criar as jogadas”, disse André.

A descontração dos primeiros dias deu lugar a certa apreensão, já que o Paraguai é um rival mais qualificado do que a Venezuela (chegou às quartas de final da Copa do Mundo de 2010) e, em casa de derrota, o Brasil poder terminar a segunda rodada do Grupo B na lanterna – desde que Venezuela e Equador empatem, por exemplo. Este jogo acontece também no sábado, 18h30, em Salta.

“O sinal de alerta está ligado, é uma competição curta e precisamos da vitória. Mas o time todo sane do potencial, sabe que pode jogar bem e conseguir os gols”, disse Lucas Leiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.