Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Apesar de maratona, Cruzeiro ainda não sofre com as lesões

Trabalho físico feito na pré-temporada vem trazendo bons resultados e foi elogiado pelo técnico Cuca

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Vippcom
Roger elogiou o trabalho de preparação física do Cruzeiro na prevenção de lesões
O Cruzeiro vem enfrentando uma verdadeira maratona de jogos nesse início de temporada de 2011. Partidas do Campeonato Mineiro e da Copa Libertadores se intercalam, além das cansativas viagens. Mas o trabalho físico feito na pré-temporada vem surtindo efeito e o time ainda não teve nenhuma lesão muscular registrada no ano.

O técnico Cuca fez questão de elogiar o trabalho feito pelos fisiologistas e preparadores físicos do Cruzeiro nesse início de temporada. “Ainda não tivemos nenhuma lesão muscular até aqui e isso é raro,  já que estamos intercalando jogos de duas competições. O trabalho está sendo muito bem feito pelo pessoal da parte médica e algumas coisas podem mudar na nossa escalação em cima da fisiologia, pela fadiga muscular e pelo perigo de lesões”, disse o treinador.

O meia Roger elogiou a estrutura do Cruzeiro. “Hoje em dia, existem os profissionais que trabalham na contenção (preparadores físicos). Eles sabem aqueles que podem ter sequência e aqueles que têm que dar uma segurada. Nada aqui é feito na ‘orelhada’. Cruzeiro tem aparelhos suficientes para diagnosticar quem pode seguir. Tenho certeza que esse trabalho pode ser feito e, em cima disso, o Cuca escala”, disse o experiente armador.

Explicação técnica
O preparador físico do Cruzeiro, Robson Gomes, explica que esse trabalho de prevenção de lesões teve início antes mesmo da apresentação dos atletas para a pré-temporada. “Fizemos questão de evidenciar para a diretoria a necessidade de ter acima de 85% do grupo dos atletas que fôssemos utilizar nesse primeiro semestre já no primeiro dia de apresentação. Assim, teríamos com exatidão o momento do atleta e sua possível evolução. Fomos prontamente atendidos. Os atletas que vieram depois já estavam em atividade em outros clubes”, disse Robson Gomes.

Para saber se um atleta está totalmente recuperado do cansaço do jogo anterior para a próxima partida, é feito o controle da enzima CK (creatina quinase). “Hoje a nossa preocupação maior é com a recuperação dos atletas. Temos um controle, através do Departamento de Fisiologia. Medimos a distância percorrida pelos atletas nos treinos e nos jogos,  e o quanto o jogo anterior foi pesado para o atleta por meio das dosagens de CK. Temos um equilíbrio bem interessante, que possibilita fazer com que o Cuca, quando for utilizar determinado atleta, possa contar com o jogador totalmente recuperado e 100% entregue a ele para os jogos. Isso nos dá uma tranqüilidade muito grande e faz com que o nosso trabalho seja facilitado e qualificado também”, ressaltou Robson Gomes.

O profissional da preparação física explicou como funciona a dosagem de CK para saber da condição de um atleta para a partida seguinte. “O CK é uma enzima que tem no músculo. A partir do momento em que o esforço está acima do normal, desvia para o sangue. E através da dosagem de CK, que é essa enzima, você vê se está no padrão normal. É uma enzima que você vai comparar o atleta com ele mesmo, e não com outro atleta, para você ver em que nível está a sua recuperação. Então, 48h depois você faz a dosagem de CK e vê os atletas que estão abaixo de 70% do índice para ele. Quanto menor o índice, mais recuperado o atleta está”, concluiu.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroCampeonato Mineiro 2011Roger

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG