Presidente ficou indignado com a arbitragem no jogo do último sábado, mas seguiu com a equipe nacional para Doha

Depois de ter ameaçado não liderar a delegação da seleção brasileira na viagem a Doha, no Catar, por conta de um pênalti polêmico na partida entre Corinthians e Cruzeiro, o presidente do time mineiro, Zezé Perrella, embarcou rumo ao local do amistoso da seleção contra a Argentina, na próxima quarta-feira.

O presidente ficou indignado neste sábado, depois da partida entre o seu clube e o Corinthians, quando o árbitro assinalou um pênalti polêmico de Gil em Ronaldo. Depois da derrota, o mandatário do Cruzeiro ameaçou ficar fora da viagem da seleção.

"Nem sei se vou com a Seleção para o jogo. São oito milhões de torcedores sofrendo por causa de um picareta (o árbitro Sandro Meira Ricci) como esse, que veio nos operar. Eu tenho vergonha na cara", disse, em entrevista coletiva, depois da partida.

Mesmo assim, Perrella embarcou no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, junto com o técnico Mano Menezes, os goleiros Victor, do Grêmio, Jefferson, do Cruzeiro e Neto, do Atlético-PR, o zagueiro Rever, do Atlético-MG, os volantes Jucilei e Elias, do Corinthians, o meia Douglas, do Grêmio e o atacante Neymar, do Santos, além de outros membros da comissão técnica da seleção.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.