Naquele ano, treinador conseguiu 50% dos pontos em 22 jogos. Agora, em 18 partidas, precisa de 51%

Experiência é o que não falta a Antonio Lopes . Com um currículo invejável de campeão brasileiro, da Libertadores e Mundial com a seleção brasileira em 2002 (era auxiliar de Felipão), o novo treinador do Atlético-PR terá a dura missão de livrar a equipe do rebaixamento à Série B.

Com 18 pontos, o time rubro-negro é o vice-lanterna da competição e até agora, nas 20 rodadas do Brasileirão, só em uma não esteve entre os quatro últimos.

Porém, além de colecionar títulos, o Delegado também é experiente no quesito “livrar do sufoco” e inclusive com o próprio Atlético-PR. Em 2009, Lopes foi contratado com essa incumbência, em um cenário bastante parecido com o atual.

Entre para a Torcida Virtual do Atlético-PR e convide seus amigos

Na ocasião, ele assumiu a equipe na 17ª rodada do Brasileirão, em 17º na tabela, e estreou com uma vitória de 2 a 0 sobre o Cruzeiro, fora de casa. Depois disso, ainda completou uma arrancada inicial com mais duas vitórias seguidas e ao final, terminou o campeonato na 14ª colocação.

Ao todo foram 22 jogos no Brasileiro de 2009, com nove vitórias, seis empates e sete derrotas, um aproveitamento de 50% dos pontos. Agora, restando 18 jogos, é exatamente esse rendimento que Lopes espera para salvar o time rubro-negro pela segunda vez.

Ele almeja chegar a pelo menos 45 pontos, ou seja, conquistar mais 27 dos 54 pontos em disputa. Se quiser 46, número considerado ideal para fugir da ZR, precisará de 1% a mais: 51% de aproveitamento.

"Venho acompanhando o Campeonato Brasileiro, sabemos que o Atlético não está em uma boa posição, meio conturbado, mas vamos lá. O Atlético tem uma boa estrutura e material humano. Vamos chegar lá e trabalhar, conheço bem o ambiente e a maioria dos jogadores”, disse o técnico, em entrevista à rádio Banda B.

Veja também: Renato Gaúcho alega problemas particulares para deixar o Atético-PR

Lopes espera usar toda a sua experiência para erguer a moral dos atletas e conseguir o objetivo, como em 2009. Além disso, conta a seu favor, em sua quinta passagem pelo clube, o conhecimento do dia-dia do rubro-negro.

"Vamos conversar com eles, com o grupo todo, dar bastante força ao grupo. A gente sabe quando um clube chega nessa situação que o Atlético chegou, o emocional fica bastante baixo. Então temos que trabalhar bastante essa parte, são bons jogadores, conheço a maioria deles", explicou Lopes que já está em Porto Alegre com o grupo atleticano para o jogo contra o Grêmio.

A reestreia do Delegado no comando do Atlético-PR será diante do tricolor gaúcho, domingo, às 16h, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Caso vença, o time depende de um empate entre Atlético-MG e Avaí, e uma derrota do Bahia frente ao Flamengo para sair da zona de rebaixamento já na próxima rodada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.