Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Antes renegado, Emerson marca contra o Guarani e dá título do Brasileirão ao Fluminense

Atacante marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Guarani. Muricy Ramalho comemora o quarto título do Campeonato Brasileiro

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Como tudo na história do Fluminense, o bicampeonato brasileiro foi sofrido e veio com uma vitória de 1 a 0 sobre um já rebaixado Guarani. E para tornar o roteiro ainda mais dramático, o gol do título veio de um jogador que no início do ano teve até campanha pela internet contra sua contratação. De canhota, num chute rasteiro, Emerson selou a merecida conquista e entrou definitivamente na lista dos ídolos tricolores.

Como toda decisão, a partida começou nervosa e muito truncada. Se o Fluminense jogava a temporada em 90 minutos, o Guarani dava a nítida impressão de que veio ao Rio de Janeiro para passear. Sem a menor pressa, o time paulista tocava a bola e fazia o tempo passar. Visivelmente nervosos, os tricolores abusavam dos passes errados. Irreconhecível, Diguinho não acertava nada.

O jogo era tão ruim que os dois esboços de chance do Fluminense vieram numa matada errada de Fred quase dentro da pequena área e numa jogava com Gum, que, sozinho, matou a bola no peito ao invés de cabecear para o gol após cruzamento perfeito de Conca. O Guarani não tinha nada com isso e apenas continuava fazendo o tempo passar. A única emoção até aquele instante veio de Goiânia, quando o auto-falante do Engenhão anunciou o gol do Goiás sobre o Corinthians, em Goiânia.

A boa notícia parece ter acordado os jogadores do Fluminense, que passaram a errar menos e criar mais. Aos 26, a primeira chance real de gol. Conca cruzou e Fred cabeceou para defesa de Emerson. Aos 31, foi a vez de Emerson, o do Fluminense, quase marcar. O atacante tabelou com Conca, recebeu dentro da pequena área e chutou. A bola tinha endereço certo, mas bateu na perna do zagueiro do Guarani.

O lance animou os donos casa. No minutos seguintes, a melhor jogada de todo o primeiro tempo. Fred tabelou com Mariano e foi para a área. O lateral cruzou na cabeça do artilheiro, que cabeceou para o chão, mas Emerson fez ótima defesa.

Aos 37, o Guarani deu o ar da graça. Apodi levou a melhor na disputa de bola com Carlinhos e tocou para Reinaldo, Valencia desviou para escanteio e assustou Ricardo Berna. Na cobrança do córner, Aislan cabeceou com perigo, mas a bola bateu em um jogador do próprio Guarani e chegou fácil nas mãos do goleiro tricolor.

Aos 38, a última boa jogada do primeiro tempo. Mariano fez ótima jogada pela direita, tabelou com Conca e cruzou na cabeça de Emerson, que testou na dentro da área. A boa chegou na pinta para Fred, mas o atacante se enrolou com a zaga do Guarani e desperdiçou a melhor chance do Fluminense. Assim que começou o segundo tempo, o torcedor tricolor ganhou outra boa notícia. Desta vez ela veio de Belo Horizonte. Era o gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro. E por muito pouco não gritou gol aos dez minutos. Fred tentou tocar para Emerson, a zaga do Guarani cruzou nos pés de Carlinhos. O lateral chutou cruzado e ninguém chegou.

Aos 15, foi a vez do Guarani ter uma ótima chance. Reinaldo levou a melhor na disputa de bola com Gum e recebeu falta do zagueiro do Fluminense próxima da área. Aislan bateu na barreira para alívio do torcedor tricolor.

Mas aos 16, finalmente veio o alívio, Carlinhos fez boa jogada pela esquerda e cruzou, Washington, que acabara de entrar na vaga de Julio Cesar machucado, resvalou de cabeça. A bola sobrou para Emerson, que só teve o trabalho de chutar rasteiro para acabar com o sofrimento da torcida do Fluminense.

A partida ficou aberta, mas as duas equipes ainda cometiam muitos erros de passe. Em um desses erros, Washington teve a chance de ampliar o placar e garantir o título. O atacante invadiu a área livre, mas bateu fraco para a defesa de Emerson.

Aos 30 minutos, Muricy tirou o atacante Fred, muito cansado, para a entrada do volante Fernando Bob. Assim, a faixa de capitão voltou para o braço de Conca, líder da equipe durante a maior parte da campanha.
Cinco minutos depois foi a vez de Emerson dar lugar ao atacante Rodriguinho.

Os minutos finais foram de angústia para o torcedor do Fluminense, que não via o tempo passar. Depois do final do jogo da partida do Corinthians, a torcida do time carioca começou a soltar o coro de tricampeão. Com o apito final de Carlo Eugênio Simon, a festa explodiu no estádio Engenhão com uma chuva de papel das cores tricolores.

FICHA TÉCNICA - FLUMINENSE 1 x 0 GUARANI

Local: Engenhão (RJ)
Data: 5 de dezembro de 2010, domingo
Renda: RS$ 2,859.459
Público: 35.527 (presente: 40.995)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (FIFA/RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (FIFA/RS) e Roberto Braatz (FIFA/RS) Cartão amarelo: Paulinho (GUA), Ailson (GUA), Maycon (GUA), Emerson (FLU), Fabiano (GUA), Mariano (FLU)

GOL:
FLUMINENSE: Emerson, aos 16 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Julio Cesar (Washington) e Conca; Emerson (Rodriguinho) e Fred (Fernando Bob). Técnico: Muricy Ramalho

GUARANI: Emerson; Guilherme (Pablo), Ailson, Aislan e Fabiano; Maycon, Paulinho, Apodi e Márcio Careca (Geovane); Reinaldo (Douglas) e Ronaldo. Técnico: Vagner Mancini

Leia tudo sobre: fluminenseguaranicruzeiropalmeirascorinthiansgoiás

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG