Tamanho do texto

Para presidente, se o Corinthians participar consecutivamente do torneio até 2013, vencerá ao menos um

Andrés prevê título da Libertadores em três anos
Gazeta Press
Andrés prevê título da Libertadores em três anos
Cinco dias antes da estreia do Corinthians na Libertadores de 2011 contra o Tolima-COL, o presidente Andrés Sanchez esteve no CT do Parque Ecológico para acompanhar os treinos da equipe e numa conversa informal com jornalistas fez uma previsão que anima qualquer torcedor corintiano.

"Pode escrever aí: se o Corinthians jogar essa e as próximas duas Libertadores a gente leva pelo menos uma. Pode escrever", disse Sanchez.

O presidente corintiano avalia que estando habituado a disputar o mais importante torneio continental o Corinthians criará condições mais favoráveis dentro do clube para chegar com chances de vencer a competição. "O São Paulo ganhou uma vez em 10 anos seguidos. É difícil ganhar. Todo mundo sabe disso", lembrou.

Sanchez lembrou da experiência do ano passado, quando a equipe foi eliminada para o Flamengo nas oitavas de final do torneio e classificou que neste ano, com a necessidade de disputar a pré-Libertadores e a chance de entrar num grupo mais difícil do que o de 2010 - se passar pelo Tolima, o Corinthians enfrenta Cruzeiro, Estudiantes e Guaraní-PAR no grupo 7 - o clube chegará mais confiante em um eventual mata-mata nas oitavas de final.

O mandatário do clube ainda lembrou da Copa do Brasil de 2008, quando o Corinthians perdeu a final para o Sport, e perdeu a chance de disputar a Libertadores de 2009, quando foi campeão paulista invicto e da Copa do Brasil com um time muito bem encaixado.

"Depois daquela final (contra o Sport) entre meus amigos, a gente falava que foi até bom perder, tentando encontrar um lado bom na coisa, levantar a auto estima. E aí em 2009 a gente tinha aquele time. Não vou falar que a gente ganharia a Libertadores (vencida pelo Estudiantes, contra o Cruzeiro), mas a gente poderia brigar forte por ela", se recordou.

O mandato do presidente corintiano se encerra em dezembro e ele já anunciou que não tentará se reeleger. Mário Gobbi, homem mais forte do seu grupo de apoiadores, deve ser o candidato da situação nas eleições do fim do ano. Sanchez evita falar sobre o assunto, mas espera que seus aliados continuem no comando do clube. Se sua profecia se concretizar, um outro presidente terá a honra de dizer que o Corinthians conquistou o único título que falta à sua galeria de troféus na sua gestão. Andrés, claro, espera terminar seu mandato com este título.