Tamanho do texto

Presidente do Corinthians quer que o estádio fique pronto até setembro de 2013, mas a previsão é para dezembro

Andrés Sanchez passeou com muito custo pelo terreno de Itaquera, na quinta-feira, antes do anúncio de que o futuro estádio do clube que ele preside será palco da abertura da Copa do Mundo de 2014 . A maior parte das pessoas se aproximou do ex-atacante Ronaldo , entretanto o dirigente também foi cercado por funcionários que prestam serviço à construtora Odebrecht e queriam uma fotografia a seu lado. Incomodado com o assédio, ele relaxou o semblante apenas quando um operário se disse corintiano. "Vamos meter bronca, hein? Vamos terminar antes do que aquela b... de Belo Horizonte?", brincou.

Leia também: Andrés Sanchez e Juvenal Juvêncio acirram rivalidade, mas também se invejam

Enquanto a empreiteira aponta a conclusão da obra em dezembro de 2013 - e a Fifa permite a entrega em fevereiro de 2014 -, o mandatário corintiano confia que o estádio estará pronto até setembro (mês de aniversário do clube) de 2013. O otimismo destoante de Andrés se explica pelo bom andamento das obras, no entendimento do engenheiro responsável, Frederico Barbosa.

"Ele já viu o poder de fogo da construtora, tem o apoio dos governos estadual e municipal de São Paulo e, pelos resultados, tira as suas próprias conclusões", diz o gerente de produção. "Nosso cliente pode ter certeza de que faremos todos os esforços para isso, mas não podemos garantir antecipação de três meses, sendo que a obra se encontra em fase de fundação no momento".

Veja mais: Corinthians comemora abertura e 'se apropria' da Copa

Questionado se houve pedido de Andrés para acelerar a construção, Barbosa disse que não. "Nós já escutamos isso. Ele pode até ter externado, mas de forma alguma nos pressionou ou fez alguma solicitação para anteciparmos. A construtora tem contrato e vai segui-lo", enfatizou o engenheiro da Odebrecht, ao informar que mais de 500 operários estão trabalhando no local.

O deboche de Andrés a respeito do Mineirão, de Belo Horizonte, foi motivado pela incerteza de quem sediaria a abertura da Copa meses atrás. Embora o dirigente sempre tenha se gabado de que o jogo inaugural seria em Itaquera - como foi confirmado pela Fifa, nesta quinta-feira -, o estádio da capital mineira recebeu recentemente visitas da presidente da República, Dilma Roussef, do ex-jogador Pelé e do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COL (Comitê Organizador Local), Ricardo Teixeira, e alimentou suas esperanças na disputa particular.

Leia também: Mesmo depois do anúncio, BH se mantém como plano B para abertura

No fim, Belo Horizonte ficou mesmo sem o jogo de estreia, mas foi contemplada com seis jogos, mesmo número de São Paulo. Dentre eles, um das oitavas de final e uma semifinal do torneio.

Caso a competição entre as duas arenas prossiga, mesmo depois de definida a abertura em São Paulo, a futura casa corintiana terá que correr bem para ultrapassar o estádio de Minas Gerais. Informações mais recentes dão conta de que o estádio em Itaquera tem aproximadamente 15% das obras concluídas, ao passo que os trabalhos na reforma do Mineirão já evoluíram 38%.

Veja fotos da festa corintiana nesta quinta-feira, em Itaquera:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.