Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Andrés Sanchez diz ser contra busto seu no Parque São Jorge

Ex-presidente corintiano não quer busto seu e viúva de Vicente Matheus diz que seu marido foi mais importante

Bruno Winckler e Paulo Passos, iG São Paulo |

O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, não quer ter um busto seu nas alamedas do Parque São Jorge . Pelo menos é o que diz o atual diretor de seleções da CBF. "Sou contra. Fiz a minha obrigação. Todos que estiveram lá na presidência tentaram fazer o melhor. Sou totalmente contra esse busto", disse Andrés ao iG, durante a estadia da seleção brasileira em St. Gallen, na Suíça, em fevereiro. À época já era aventada a possíbilidade de ele ganhar um busto na sede oficial do Corinthians, clube que presidiu de outubro de 2007 a fevereiro de 2012. A proposta sobre o busto de Andrés foi apresentada na reunião do conselho na última terça-feira.

Leia também: Polícia prende integrantes de organizadas do Palmeiras e Corinthians

Alguns personagens da história corintiana contam com um busto no Parque São Jorge. Os principais são Neco (primeiro jogador ídolo no clube, que jogou no Corinthians nas décadas de 10 e 20 do século passado) e Cláudio Pinho, jogador dos anos 50, campeão paulista no quarto centenário de São Paulo em 1955. Outros ídolos são lembrados no memorial do Corinthians, também instalado no Parque São Jorge.

Gazeta Press
Gestão de Andrés rendeu CT e estádio ao clube
Confira ainda: Sem-teto invadem o Itaquerão e protestam contra "crimes da Copa"

A oposição corintiana e até alguns dos aliados do ex-presidente dizem ser contra a iniciativa de homenagear Sanchez. Entre as vozes da oposição, a viúva do ex-presidente Vicente Matheus disse que antes de Sanchez, seu marido é quem deveria ser homenageado. Vicente Matheus dirigiu o Corinthians por oito mandatos, o primeiro em 1959.

E mais: Jogadores do Corinthians dão ovos de Páscoa para crianças carentes

"Vicente viveu o Corinthians como ninguém. O Andrés só usou o Corinthians para ir para a CBF. E a todo momento dizia que não via a hora de deixar a presidência do Corinthians. Que tipo de amor é esse? Quem assume a presidência do Corinthians nunca pode falar isso e muito menos receber um busto", disse Marlene, que presidiu o clube no início dos 90.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Sanchez divulgou nota nesta quarta-feira para agradecer a iniciativa, mas alegando que um busto seu não seria positivo para o clube. "Acredito que ninguém no Corinthians deva ter seu nome ou um busto em nenhum lugar. Na reforma estatutária, o que procuramos garantir foi que o Corinthians não tivesse mais dono. Isso é um fato. Tanto que, durante todo o período em que fui presidente, não permiti que colocasse administração fulano de tal, nem em ônibus ou em nenhuma das diversas obras que fizemos. Devido a isso, não acho que seja bom para o clube um busto meu ou de qualquer outra pessoa", disse Sanchez na nota.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG