Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Andrés deixa Corinthians com dívida 90% maior de quando assumiu

Ex-presidente entregou clube com R$ 190 milhões de dívida. Em 2007 eram R$ 100 milhões

Bruno Winckler, iG São Paulo |

Andrés Sanchez encerrou seu mandato como presidente do Corinthians na quinta-feira com saldo positivo . Deixou um CT profissional pronto e o sonhado estádio com 25% das obras já realizadas. Mas durante as eleições de fevereiro, seu candidato à sucessão, Mário Gobbi, terá de explicar o aumento da dívida do clube entre 2007 e 2011, tempo do mandato de Sanchez. A dívida do clube aumentou 90% - de R$ 100 milhões para R$ 190 milhões. O faturamento, segundo o departamento financeiro corintiano, teve aumento de 400%.

Veja imagens do último dia de Andrés Sanchez como presidente do Corinthians

Raul Corrêa, diretor financeiro do clube, diz que a dívida está sob controle, mesmo estimando que ela chegue a R$ 190 milhões no final de 2011. O argumento para relativizar a dívida está no valor que o clube arrecada. "A gente arrecadava R$ 60 milhões por ano em 2007 e agora, sem venda de jogador, acho que vamos fechar 2011 com R$ 240 milhões de receita", disse Corrêa, que pretende soltar o balanço financeiro do ano em 31 de janeiro.

Leia também: Com ressalvas, candidato da oposição elogia gestão de Andrés

O tema da dívida corintiana será abordado com força pelo candidato da oposição à presidência, Paulo Garcia, na campanha eleitoral. “Aumentou muito e isso não pode continuar assim. Não adianta dizer que arrecada mais, porque um dia essa dívida vai ter de ser paga”, disse Garcia, ao iG, durante evento de lançamento do hotel do CT do clube no Parque Ecológico.

E mais: Em relatório anual, Corinthians detalha finanças do clube em 2010

Andrés usa como sua defesa o argumento de que os maiores clubes do mundo têm dívidas milionárias, mas que conseguem se manter tendo receitas muito superiores. O presidente se irrita com o tema e disse que poderia ter pagado a dívida se quisesse. Mas aí teria de rejeitar investimentos como o feito no CT e na compra de jogadores, como o meia Alex .

"Se eu não tivesse feito o CT e contratado o Alex a dívida estaria paga. Quem acha que o Corinthians não tem que ter dívida é hipócrita. Tinha que ser de R$ 1 bilhão, mas sabendo pagar as contas do clube diariamente", disse o mandatário, que pagou R$ 14 milhões por Alex e gastou R$ 50 milhões na construção do centro de treinamento do clube.

Leia tudo sobre: corinthiansandrés sanchezpaulo garciadívidas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG