Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ancelotti descarta pedir demissão do Chelsea

Após eliminação da Copa da Inglaterra nos pênaltis para o Everton, pressão aumentou sobre técnico italiano

Gazeta Esportiva |

A eliminação nos pênaltis para o Everton, na quarta rodada da Copa da Inglaterra, serviu para aumentar a pressão sobre o técnico do Chelsea, Carlo Ancelotti. No entanto, o italiano descartou seguir o exemplo de seu compatriota Claudio Ranieri, da Roma, e pedir demissão.

O ex-treinador do Milan afirmou que a decisão está nas mãos do dono do clube, Roman Abramovic, e este já mostrou não hesitar quando os resultados não aparecem. Em setembro de 2007, demitiu o português José Mourinho, apesar do bicampeonato inglês. No início de 2009, foi a vez do brasileiro Luiz Felipe Scolari perder o emprego.

"Eu nunca me demiti e não vou fazê-lo agora. Não tenho que reconsiderar minha posição, é o dono que tem que fazer isso. Vou apenas trabalhar e fazer meu trabalho", avisou.

Eliminado na Copa da Inglaterra, da Copa da Liga Inglesa e a 12 pontos do líder Manchester United, a única chance de o Chelsea levantar um troféu nesta temporada é a Liga dos Campeões da Europa, na qual enfrenta o Copenhagen nas oitavas de final.

"A Champions League não é fácil, mas nos trará muita motivação. Não seremos eliminados pelo Copenhagen. Temos a possibilidade de vencer", garantiu o treinador.

A explicação de Ancelotti para o mau momento é simples: apenas três jogadores do elenco estão em sua melhor forma. "Quem está jogando perto do máximo no momento, além de Cech? Ivanovic vem sendo consistente, e Terry. Alguns não estão 100% fisicamente. Não temos confiança, nem continuidade. Esse é o motivo", finalizou.

O duelo contra o time dinamarquês será às 16h45 (Brasília) de terça-feira.

Leia tudo sobre: ChelseaCarlo Ancelottiinglaterrafutebol mundialTerry

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG