Tamanho do texto

Atacante espanhol não marca um gol há 817 minutos, ou 13 jogos, contando partidas por clubes e pela seleção espanhola

EFE
Fernando Torres não marcou e foi substituído por Drogba no intervalo do jogo
Sem marcar há 817 minutos, ou 13 jogos, contando partidas por clubes e pela seleção espanhola, Fernando Torres foi titular do Chelsea na partida de volta das quartas de final da Liga dos Campeões contra o Manchester United, em Old Trafford. Após a derrota por 2 a 1 e a eliminação , o técnico Carlo Ancelotti admite que possa ter errado.

A decisão impôs a Didier Drogba, mais uma vez, o banco de reservas. No intervalo, ele entrou justamente no lugar do camisa 9 e marcou o único gol do Chelsea . "Talvez, pode ter sido (um erro). Disse várias vezes na temporada que queria usar Fernando de titular em jogos como este. Didier foi bem no segundo tempo. Eu queria colocar mais pressão na frente, ele estava fresco e poderia fazer isso. Foi por essa razão que tirei Fernando", explicou.

O técnico rival defendeu seu colega. Para Alex Ferguson, o preço que o Chelsea pagou por Torres, cerca de R$ 130 milhões, praticamente obriga Ancelotti a usá-lo de titular. "Muitos pensavam que Drogba jogaria. Eu pensei que, por terem pagado tanto dinheiro pelo Torres, eles tinham que usá-lo. Não estava com 100% de certeza, mas eu não via como deixá-lo de fora. Não estou criticando a contratação. Ninguém desperdiçaria essa oportunidade", defendeu o escocês.

Fora da briga por todos os títulos da temporada, resta ao Chelsea garantir vaga na próxima Liga dos Campeões. Em terceiro lugar, não pode deixar Manchester City e Tottenham ultrapassá-lo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.