Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Amor e terror movem rivais Palmeiras e Corinthians no clássico

Em lua de mel com a torcida, o Palmeiras manda o jogo com o apoio irrestrito. Situação oposta do rival

Bruno Winckler e Marcel Rizzo, iG São Paulo |

Um time jogando por amor. Outro por terror. Palmeiras e Corinthians. Os rivais mais antigos de São Paulo chegam para o primeiro derby de 2011, neste domingo, às 17h, no Pacaembu, despertando sentimentos bem distintos entre seus torcedores. Com cinco vitórias consecutivas, o Palmeiras é o lider do Campeonato Paulista com 16 pontos e está em estado de graça com sua torcida, que estará em maioria no estádio – o Palmeiras é o mandante do jogo. O amor do palmeirense pelo clube está aflorado depois de dois anos difíceis. O Corinthians atual vive o terror que nos últimos anos moveu alguns palmeirenses que até chegaram a agredir jogadores do clube.

Gazeta Press
Marcos volta ao gol palmeirense
O time do Parque São Jorge entra em campo atravessando o momento mais tenso no clube desde o rebaixamento no Brasileirão. A eliminação na primeira fase da Libertadores, quarta-feira, na Colômbia, para o Tolima, gerou uma série de protestos de corintianos ligados a torcidas organizadas na sexta-feira e no sábado que não se via desde aquele 2 de dezembro de 2007.

O clima de terror, citado por Ronaldo no sábado como sendo patrocinado por “terroristas de dentro do clube”, é o sentimento que impera entre as principais facções organizadas. “Não jogam por amor, jogam por terror”, gritaram os “manifestantes” no sábado.

O atacante corintiano não joga o clássico. O técnico Tite disse que o jogador sente uma dor no músculo adutor da coxa direita e que por isso não vai para a partida. Roberto Carlos e Dentinho, também lesionados, estão fora.

Os papéis que os rivais desempenharam em 2010 se inverteram neste início de ano. O Palmeiras que começou 2011 desacreditado, entra no clássico deste domingo como favorito. O time está invicto na temporada, venceu seus últimos cinco jogos, marcando dez e sofrendo um gol.

“Pelo que vocês (da imprensa) falam já ganhamos o jogo de 15 a 0. Não tem isso de favorito quando se entra em campo. Eu só teria vantagem se a Federação deixar eu sair ganhando por 1 a 0. vai deixar?”, ironizou Luiz Felipe Scolari.

A situação é bem mais favorável ao Palmeiras. O ambiente turbulento pré-eleição, no final de janeiro, acabou. Quando a oposição, com Arnaldo Tirone, ganhou a presidência se cogitou até que Felipão poderia deixar o comando da equipe, já que havia sido contratado, com alto salário, por Luiz Gonzaga Belluzzo. Poucos sabiam, porém, que Scolari já conversava com Tirone e com Roberto Frizzo, vice que passou a comandar o futebol. Pedia reforços e estrutura para montar a base que agora lidera o Paulistão.

Felipão só se irrita quando descobre que pode ajudar a derrubar o técnico Tite, com o cargo ameaçado no Corinthians. E exagera na reação. “A culpa não é do treinador. Olha, se eu soubesse que se perdesse o jogo manteria o Tite, perderia. Não acho isso motivador (poder derrubar o rival), acho desestimulante”.

Marcos retorna ao time, depois de ser poupado contra o Mirassol. O goleiro de 37 anos deve se revezar com Deola nesta temporada e realizar somente as partidas mais importantes. Kleber é outro que retorna, depois de cumprir suspensão. Danilo, que deve ser negociado com a Udinese, mas fica até julho, forma de novo a zaga com Maurício Ramos. E Marcos Assunção será o experiente no meio de campo depois de se recuperar de lesão muscular. Valdivia e Lincoln, machucados, continuam fora.

AE
Edno deve ser o substituto de Ronaldo

No Corinthians, sem Ronaldo, Roberto Carlos e Dentinho, Tite montará um time, taticamente, bem diferente ao que disputou o último jogo contra o Tolima. Edno formará dupla de ataque com Jorge Henrique e Danilo fortalecerá o meio campo com Ralf, Jucilei e Paulinho. Só a defesa é que não deve sofrer alterações com a linha formada por Alessandro, Chicão, Castán e Fábio Santos.

O Corinthians tem dois jogos a menos que os rivais por conta de alterações feitas na tabela pelos jogos contra o Tolima. O time do Parque São Jorge fez quatro jogos e somou seis pontos com uma vitória e três empates.

Palmeiras e Corinthians fizeram três jogos em 2010 e poucos gols. O Corinthians venceu duas vezes por 1 a 0 (pelo Paulista e no segundo turno do Brasileiro) e houve um empate por 1 a 1 (no primeiro turno).

FICHA TÉCNICA – PALMEIRAS x CORINTHIANS
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Assistentes: Rafael Ferreira da Silva e Maiza Teles Paiva

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho, Danilo, Maurício Ramos e Rivaldo; João Vitor (Márcio Araújo), Marcos Assunção e Tinga; Luan, Dinei e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari

CORINTHIANS: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos (Marcelo Oliveira); Ralf, Jucilei, Paulinho e Danilo (Bruno César); Jorge Henrique e Edno. Técnico: Tite.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG