Treinador santista disse na saída do gramado que ninguém será punido pelo incidente no Olla Azulgrana

Apesar de empatar com o Cerro Porteño por 3 a 3 nesta quarta-feira , em Assunção, no Paraguai, o Santos enfrentou uma forte pressão no estádio Olla Azulgrana. O técnico Muricy Ramalho, inclusive, foi atingido por um objeto à frente do banco de reservas, no segundo tempo do jogo. O treinador chegou a se ajoelhar após receber a pancada na cabeça.

“Dei muita sorte de não pegar nos meus olhos. Mas não vai acontecer nada, ninguém será punido. É assim, vocês vão ver se vai acontecer algo”, disse o treinador na saída do gramado.

Técnico foi atingido por objeto não identificado
Reprodução
Técnico foi atingido por objeto não identificado


Muricy não concedeu entrevista coletiva após o término da partida, pois estava sentindo fortes dores de cabeça. Devido aos problemas enfrentados no estádio do Cerro Porteño, apenas o meia Elano falou com a imprensa.

Segundo o assessor de imprensa do Santos, Fábio Maradei, o camisa 8 também sofreu com a pressão dos torcedores enquanto se dirigia do vestiário ao banco de reservas. Por isso, a assessoria de imprensa informou que nenhum jogador aceitou falar com os jornalistas.

Garantido na final da Libertadores, o Santos espera o vencedor de Vélez Sarsfield, da Argentina, e Peñarol, do Uruguai, que jogam nesta quinta-feira , em Buenos Aires. No jogo de ida, os uruguaios venceram por 1 a 0.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.