Após empate por 0 a 0 no tempo normal, equipe do Catar leva a medalha de bronze no Mundial de Clubes

Belhadj converteu o pênalti que deu a vitória ao Al-Sadd e saiu para o abraço
AP
Belhadj converteu o pênalti que deu a vitória ao Al-Sadd e saiu para o abraço

Em confronto que antecedeu a final entre Santos e Barcelona, o campeão japonês Kashiwa Reysol e o campeão asiático Al Sadd (Catar) empataram por 0 a 0 no tempo regulamentar. Nos pênaltis, o goleiro Mohamed Saqr se recuperou das três falhas que teve na semifinal contra a equipe catalã, defendeu a cobrança de Hayashi e deu ao Al Sadd o terceiro lugar do Mundial de Clubes com um triunfo por 5 a 3.

E MAIS: São-paulinos não são aceitos por santistas no estádio em Yokohama

Por ter sido disputada horas antes da decisão do título, a partida teve pouco apelo no Estádio Internacional de Yokohama. Muitos torcedores dos dois clubes finalistas tomaram as arquibancadas já no decorrer desse jogo e ofuscaram os poucos aficcionados das equipes que duelavam naquele momento.

Depois da derrota para o Santos na semifinal, o time local foi a campo sem um de seus principais jogadores, o meia brasileiro Leandro Domingues, suspenso por ter recebido o segundo cartão amarelo - a equipe comandada por Nelsinho Baptista estreou antes no torneio, em seletiva contra o neozelandês Auckland City.

Kashiwa Reysol, do brasileiro Jorge Wagner, não sobe no pódio no Mundial de Clubes
AP
Kashiwa Reysol, do brasileiro Jorge Wagner, não sobe no pódio no Mundial de Clubes

Mesmo sem o camisa 10, que assistiu ao confronto do estádio, o começo da primeira etapa foi dominado pelo Kashiwa. O primeiro lance mais agudo, porem, ocorreu somente aos 25 minutos, quando o atacante Junya Tanaka avançou pelo lado direito do campo, cortou para o meio e, de perna esquerda, chutou a bola na trave. No minuto seguinte, ele perdeu ótima oportunidade na pequena área, batendo à queima-roupa e vendo o goleiro fazer impressionante defesa.

Acuado iniciallmente, o Al-Sadd chegou ao campo ofensivo raras vezes, mas conseguiu assustar a meta de Sugeno aos 34 minutos. Keita avançou pelo corredor direito e bateu cruzado, obrigando o arqueiro a se esticar todo para espalmar a bola. Esse foi um dos apenas quatro arremates da formação catariana antes do intervalo.

O Kashiwa retornou do intervalo com tatica semelhante à do primeiro tempo, avançando a marcação e deixando o adversário em seu campo de defesa.

Na etapa complementar, a partida foi parelha, talvez pelo receio de um contra-ataque falta. A melhor oportunidade foi do Kashiwa, presente no campo de ataque muito graças às investidas do lateral direito Sakai: Jorge Wagner assustou em um chute de fora da área.

Nos pênaltis, os catarianos converteram todas as cinco cobranças que arriscaram (Niang, Keita, Ibrahim, Al Haydos e Belhadj), enquanto os japoneses acertaram apenas três (Jorge Wagner, Sawa e Otani) e Hayashi parou nas mãos de Saqr.

FICHA TÉCNICA
AL SADD-CAT 0 (5) X (3) 0 KASHIWA REYSOL-JAP

Local : Estádio Internacional de Yokohama (Japão)
Data : 18 de dezembro de 2011 (domingo)
Horário : 5h30 (de Brasília)
Árbitro : Noumandiez Doue (Costa do Marfim)
Assistentes : Djibril Camara (Senegal) e Songuifolo Yeo (Costa do Marfim)

Pênaltis :
AL SADD: Mamadou Niang, Kader Keita, Ibrahim Abdulmajed, Al Haydos e Nadir Belhadj
KASHIWA REYSOL: Jorge Wagner, Sawa e Otani

KASHIWA REYSOL : Sugeno; Kondo, Masushima, Hashimoto e Sakai; Otani, Barada, Jorge Wagner e Mizuno; Tanaka (Sawa) e Kitajima (Hayashi).  Técnico : Nelsinho Baptista

AL SADD : Mohamed Saqr; Ibrahim Addulmajed, Abdulla Koni, Lee Jung e Nadir Belhadj; Mesaad Al Hamad, Ibrahim Khalfan (Ali Afif), Wesam Abdulmajed e Mohammed Al Yazidi (Hasan Al Haydos); Mamadou Niang e Kader Keita.  Técnico : Jorge Fossati

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.