Zagueiro, ex-São Paulo, fez na tarde desta terça, no Ninho do Urubu, seu primeiro treino pelo time do Rio

Divulgação/Flamengo
Alex Silva faz pose com a camisa de treino do Flamengo
Apresentado pela presidente Patrícia Amorim no Ninho do Urubu, o zagueiro Alex Silva viveu seu primeiro dia como jogador do Flamengo . Treinou de manhã e tarde, vestiu o uniforme número 44 e já fez uma previsão de estreia entre 10 e 12 dias. Animado com a nova empreitada, mostrou se sentir em casa no novo clube.

Entre para a Torcida Virtual do Flamengo e convide seus amigos

“O Flamengo tem a minha cara”, afirmou Alex Silva, que se espelha em Fábio Luciano, ex-jogador do clube, que encerrou sua carreira depois da conquista do Campeonato Carioca de 2009. “Quero seguir os passos dele, fazer a mesma história aqui. É um amigo. Tenho contrato longo (três anos)”.

Espírito rubro-negro

“Já vi o que significa a instituição e a torcida. Sou um jogador que coloca a raça, o espírito guerreiro em campo. O Flamengo tem a minha cara. Quero ajudar nos objetivos do clube e corresponder ao investimento que foi feito para me trazer”.

Siga o iG Flamengo no Twitter e receba as notícias do time em tempo real

Boa fase


“Tive a felicidade de conquistar dois títulos brasileiros. Chego num momento em que o time está bem no campeonato. Com todo respeito aos outros zagueiros do time, espero corresponder à altura e ser feliz no Flamengo”.

Experiência

“Nos pontos corridos é assim. Tem sempre aquele joguinho que você não pode perder. É o caso desse de quarta-feira, contra o Palmeiras (21h50, no Pacaembu). É importante vencer para se manter na cola do Corinthians. Tem que pensar em se manter entre os quatro e, quando virar o segundo turno, analisar se dá ou não para ser campeão. Ainda temos o confronto com o Corinthians para roubar essa colocação.”

O zagueiro treinou firme no Ninho do Urubu e evitou maiores polêmicas com seu ex-clube, o São Paulo
Vipcomm
O zagueiro treinou firme no Ninho do Urubu e evitou maiores polêmicas com seu ex-clube, o São Paulo

Altura

“Sempre fui ruim no basquete e no vôlei. Meu negócio sempre foi futebol mesmo”

Bom ambiente

“Nesse tempo em que estou no Rio já deu para perceber que há 90% de flamenguistas. Tive a felicidade de enfrentar o Flamengo e sei como é essa torcida, que dá apoio e, da dificuldade quando o resultado não vem por causa da pressão”

Contatos

“Quando cheguei no hotel, o Júnior César (ex-companheiro de São Paulo) me ligou. Aliás, foi quem mais me ligou para eu vir para o Flamengo. Conversei também com o Ronaldinho e o Thiago Neves. O time tem um grande treinador e está montando um projeto, com mudanças no centro de treinamento. Isso também pesou”

Estreia

“Não tenho tendência para engordar. Rapidamente, recupero minha forma física. Venho trabalhando sem dificuldade e, em 10 ou 12 dias, estou à disposição para jogar. Mas quem decide é a comissão técnica”.

Bola aérea

“A tendência do futebol, com os jogos muito equilibrados, é ter a maioria dos gols em jogadas de bola aérea. Pela altura, eu posso ajudar”.

Seleção brasileira

“O que me atrapalhou no Hamburgo foi que joguei fora da posição, de volante, e acabei perdendo espaço. Quero retribuir esse carinho e representar o Flamengo na seleção. Perto do mano espero ser lembrado nas próximas convocações”.

Saída do São Paulo

“Houve uma promessa que não foi cumprida. O meu objetivo era não voltar para a Alemanha. As partes se entenderam e fui liberado pelo São Paulo. Fui feliz lá e quero fazer a mesma história aqui”.

Status de craque

“O Ronaldinho é muito mais importante. Faço questão de marcar e correr dobrado atrás porque o Ronaldinho vai resolver na frente”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.