Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Alessandro e Júlio César garantem vitória corintiana no clássico

Pressionados pela derrota na Libertadores, o Corinthians conseguiu vencer Palmeiras e diminuir pressão

Bruno Winckler, iG São Paulo |

Coube a dois dos poucos jogadores poupados dos protestos violentos que fizeram parte da vida corintiana nos últimos dias o privilégio de serem os heróis da vitória corintiana por 1 a 0 sobre o seu maior rival que tira um pouco a pressão pela queda na Libertadores: Alessandro, com um gol, e Júlio César, com defesas milagrosas, garantiram o resultado positivo ao Corinthians.

No sábado, durante os protestos, os nomes dos dois heróis, além de Jorge Henrique, foram cantados efusivamente em meio a xingamentos e atos de violência no CT do clube. E foram eles que tiraram o Corinthians da lama que a eliminação para o Tolima, na Libertadores, os colocou.

Tite ganhou sobrevida. O Corinthians agora tem 9 pontos no campeonato paulista, único torneio que disputará até maio e visto como obrigação após o vexame na Colômbia.

O Palmeiras segue líder. Tem 16 pontos. "Jogamos bem, mas a gente devia ter ganhado. Tiramos o Corinthians da lama em que estavam", disse o goleiro Marcos.

nullO jogo
O jogo começou quente no Pacaembu. Os mais de 30 graus, e o clima de provocação criado pelos palmeirenses pela recente eliminação do Corinthians na Libertadores, levaram as duas equipes a buscarem o gol desde o princípio.

O Palmeiras chegou primeiro. Aos três minutos Tinga recebeu passe na entrada da área e chutou forte contra o gol de Júlio César, que fez grande defesa. A torcida palmeirense, inflamada, via ali que poderia tornar a semana, que começara muito bem para o seu time e mal para o rival, em algo inesquecível.

Porém, o Corinthians deste domingo foi a campo com uma formação diferente daquela que envergonhou sua torcida contra o Tolima, quarta-feira. Lá na Colômbia, o time não tinha meias na sua formação inicial. Assim, não tinha criação. Contra o Palmeiras, Danilo e Ramirez, os dois escolhidos para entrar naquele jogo apenas quando a equipe estava perdendo por 1 a 0, foram a campo e o time mostrou outra cara.

Os primeiros 10 minutos corintianos foram de muito toque de bola e tabelas rápidas. Danilo, Jucilei e Edno pareciam interessados em tramar boas jogadas entre eles. Aos cinco minutos as tabelas no meio campo corintiano deram ao time de Tite a melhor chance do primeiro tempo. Danilo tocou para Jucilei, que lançou Edno na intermediária.

O atacante improvisado então devolveu para Jucilei que entrou livre na grande área. Sem cacoete para o gol, o volante demorou para decidir e Marcos saiu bem para abafar o chute do camisa 8 corintiano. O goleiro palmeirense fez ótima defesa e mandou para escanteio.

O bom presságio para o corintiano nos primeiros minutos de jogo não duraram muito. Depois dos 15 minutos – momento do jogo em que o Corinthians tinha mais de 60% da posse de bola – não se confirmou no restante do primeiro tempo e o líder Palmeiras equilibrou o jogo tendo até o final do primeiro tempo duas chances muito claras desperdiçadas.

Aos 25, após escanteio cobrado por Marcos Assunção, a zaga do Corinthians cortou parcialmente. Na entrada da área, Kleber escorou de cabeça e Maurício Ramos recebeu livre de marcação, em posição legal. Júlio César saiu bem para fechar o ângulo e o zagueiro, após duas tentativas, perdeu o gol. Na segunda chance, o gol estava praticamente vazio.

Júlio César começava a se tornar figurante importante do jogo a medida que o Palmeiras passou a atacar mais. O goleiro corintiano impediu outro gol certo do rival. Já nos acréscimos, Cicinho lançou Dinei na intermediária corintiana. O atacante achou espaço no meio da defesa corintiana e rolou para Kleber, que se livrou de Alessandro e finalizou forte, no canto direito do gol. Júlio César se esticou e com os pés salvou o Corinthians.

Os dois mais tradicionais rivais de São Paulo foram para os vestiários com os nervos quentes. A arbitragem de Antônio Rogério do Prado não punia as seguidas faltas das duas equipes com cartão e com isso por duas vezes houve empurra-empurra entre os corintianos e palmeirenses. Os dois primeiros cartões do jogo só saíram nos acréscimos, para Tinga e Leandro Castán.

De cabeça fria, as duas equipes voltaram para o segundo tempo com alterações somente do lado corintiano. Fábio Santos, ineficiente tanto na marcação como no apoio, saiu para entrada de Marcelo Oliveira.

O Palmeiras começou o segundo tempo como terminou o primeiro. Melhor que o Corinthians. Antes dos sete minutos, Tinga e Dinei, com chutes de fora da área, chutaram com perigo, mas para fora do gol de Júlio César.

O Corinthians tentava chegar por meio das investidas de Jucilei e Ramírez no meio-campo, mas no ataque, Jorge Henrique e Edno estavam bem marcados e poucas opções ofereciam para os meias da equipe. Danilo, cansado, também caiu de produção.

O Palmeiras tinha claro domínio das ações. Aos 31 minutos de jogo, eram 13 finalizações contra sete do Corinthians. Tite então apostou em colocar Willian no lugar de Edno para mudar o cenário do ataque corintiano, ineficiente no segundo tempo. E deu certo.

Aos 37 minutos foi Willian que iniciou a jogada do gol. O atacante tocou para Alessandro que subia ao ataque em velocidade. Alessandro tocou para Morais, que entrara na na vaga de Ramírez, e o meia devolveu para o lateral entrar livre na área. Alessandro, pouco afeito aos gols, marcou o gol que alivia a barra de Tite e acalma os alucinados torcedores ligados às facções organizadas.

Atrás do placar, o Palmeiras tentou o empate, mas Júlio César, mais uma vez, segurou o resultado. O goleiro corintiano é o melhor jogador do time neste momento.

O Corinthians agora enfrenta o Ituano, quarta-feira, no Pacaembu, em partida atrasada da tabela por conta da disputa da pré-Libertadores. O time do Parque São Jorge tem duas partidas a menos em relação aos principais rivais. O Palmeiras, ainda líder isolado, tem agora o Americana, que faz boa campanha no Paulistão, como adversário, sábado, fora de casa.

FICHA TÉCNICA – PALMEIRAS 0 x 1 CORINTHIANS
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Assistentes: Rafael Ferreira da Silva e Maiza Teles Paiva
Cartões Amarelos: Tinga, Patrik, Luan (PAL); Leandro Castán e Alessandro (COR)
Renda: R$ 678.111,00
Público: 23.714 pagantes
GOL: Alessandro, aos 37 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Rivaldo (Max Santos); Márcio Araújo, Marcos Assunção e Tinga (Adriano Michael Jackson); Luan, Dinei (Patrik) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari

CORINTHIANS: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos (Marcelo Oliveira); Ralf, Jucilei, Ramírez (Morais) e Danilo; Jorge Henrique e Edno (Willian). Técnico: Tite.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG