Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Alecsandro diz que cobrança sobre ele no Inter é exagerada

Atacante foi vaiado em Abu Dhabi e Porto Alegre depois de eliminação do Mundial e deve deixar o clube. Vontade do jogador, porém, é ficar porque o Inter paga em dia

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882780713&_c_=MiGComponente_C

Alecsandro é um dos poucos jogadores que fala o que pensa. O discurso bola, campo e três pontos, decorado por nove entre dez boleiros, não é para ele. Por isso que o camisa 9 do Internacional não foge de perguntas como o que você acha da cobrança e das vaias da torcida para você depois da eliminação do Mundial de clubes para o Mazembe?

Acho exagerado. É uma cobrança bem exagerada. Eu sei que quando cheguei ao Inter, em 2009, fui taxado de mascarado, arrogante, mas sou um cara gente boa. Imaginei que isso tivesse passado depois do título da Libertadores, mas fico triste em saber que recebi algumas críticas, disse Alecsandro.  Para ele, sua atuação foi boa contra os africanos e a bola não chegou ao ataque, o que prejudicou.

Vipcomm
Alecsandro foi o jogador mais vaiado depois do fiasco do Inter em Abu Dhabi

O jogador foi vaiado pelos mais de oito mil colorados que estavam no estádio Mohammed Bin Zayed, na derrota de 2 a 0 para o time da República Democrática do Congo, na quarta-feira. Ele também recebeu vaias dos torcedores que viram o jogo em Porto Alegre, em telão colocado no ginásio Gigantinho.

Com dois anos de contrato pela frente, ele deve ser envolvido em alguma negociação. Em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a informação entre os dirigentes do Inter é que poderia haver uma troca dupla entre o clube gaúcho e o Palmeiras: Alecsandro por Kléber e Guiñazu por Edinho. Não há confirmação oficial de nenhum dos clubes.

Não queria sair. Minha família gosta de Porto Alegre, o Inter paga em dia, tem uma estrutura espetacular e eu acho que poderia permanecer. Mas não tem como prever isso. Quero continuar jogando futebol, se não for no Beira-Rio que seja em outro lugar. Tirando o Al-Wahda (dos EAU), quando me machuquei, sempre fui bem nos times pelos quais passei, disse o jogador de 29 anos.

Oficialmente, a diretoria do Internacional procura um centroavante. O preferido é Luís Fabiano. Resta o Sevilla, da Espanha, topar o empréstimo. Em um último contato, a direção do time espanhol disse que a oferta brasileira estava muito longe do que eles pensam.

A diretoria tem que procurar se reforçar mesmo. Eu quero ficar e jogar ao lado de grandes jogadores e seria legal com o Luís Fabiano. Um time como o Inter sempre tem que ser forte, disse Alecsandro.

Leia tudo sobre: futebolinternacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG