Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Alecsandro admite que torcida do Vasco ainda o persegue

Artilheiro do time na temporada, atacante sofre com vaias se gol demora a sair mesmo após 1 ano de clube

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Artilheiro do Vasco na temporada com seis gols em seis partidas, Alecsandro ainda não sabe o que é viver uma lua-de-mel com a torcida – mesmo após um ano de clube. Basta a bola demorar a entrar para o torcedor ensaiar as primeiras vaias. Não importa se no fim ele terá sido o herói do jogo, como na vitória de virada sobre o Fluminense , neste domingo, no Engenhão O fato é que Alecsandro não caiu de vez nas graças da torcida.

Realista, o camisa 9 de São Januário reconhece a instabilidade na sua relação com os vascaínos. Mas assegura que até o fim da sua passagem pelo clube o quadro vai mudar.

“Ser camisa 9 é sempre difícil. Se você não faz gol, é questionado. E às vezes faz e mesmo assim sofre uma crítica. E no Vasco ainda é pior porque o clube teve Roberto Dinamite, Edmundo e Romário”, comentou Alecsandro, completando:

“Quando vim para o Vasco, sabia da responsabilidade, sabia o que iria enfrentar. Sempre gosto de ser aplaudido, mas se eles não vêm, temos que continuar buscando melhorar”, disse o atacante.

Feliz em São Januário, sobretudo após a saída de Elton , com quem travou duelo pela posição e sempre era substituído quando o gol demorava a sair, Alecsandro acredita que a confiança que o técnico Cristóvão Borges tem depositado nele vai ajudá-lo a torcida de vez para o seu lado.

“Eu digo para que vou continuar fazendo gol. Quem sabe não encerro a carreira aqui? E se isso acontecer, quando parar terei feito muitos gols e a alegria dessa torcida”.
 

Leia tudo sobre: vascocampeonato carioca 2012alecsandro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG