Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Aidar diz que juiz "criou tumulto", mas não vê ameaça a Juvenal

Advogado da situação do São Paulo diz que liminar definitiva pró oposição não tirará presidente do cargo

Mário Monteiro, iG São Paulo |

A decisão judicial divulgada nesta quinta-feira e que tornou definitiva uma liminar favorável à oposição do São Paulo que impediria a reeleição de Juvenal Juvêncio foi recebida com revolta pelo advogado da situação e ex-presidente do clube, Carlos Miguel Aidar. Para ele, o juiz do caso "criou um tumulto sem tamanho".

Relembre a reeleição de Juvenal Juvêncio e toda a polêmica por trás do pleito

"Como pode o presidente, exercendo o cargo e a reforma do estatuto não ter validade? Esse juiz continua fazendo coisa errada. Vou entrar com mais um pedido de esclarecimento, porque não tem o efeito que o [Edson] Lapolla [candidato derrotado nas eleições de abril] quer. Primeiro porque ele não é advogado", afirmou Aidar.

Apesar da surpresa e da indignação, no entanto, o advogado não teme que a nova decisão tenha consequências graves para Juvenal. "Não há preocupação da nossa parte. O Juvenal Juvêncio está lá, será mantido como presidente até o julgamento da apelação. Quero só que esperem o julgamento da apelação."

"Essa liminar não passa nem perto de anular a mudança de estatuto do clube e tirar o Juvenal do cargo de presidente. Ele só perde o cargo se Brasilia, no outro processo, decidir, e o Juvenal não fizer assembleia geral. Fora isso, o risco é zero", completou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG