Corintianos foram identificados pela Polícia Federal e agora vão a responder a um processo por lesão corporal

Gazeta Press
Jean Pierre Gonçalves disse ter levado um pontapé e um soco dos torcedores
A Polícia Federal identificou os agressores do árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima e dos assistentes Altemir Hausmann e Julio Cesar Rodrigues Santos, que trabalharam na derrota do Corinthians para o América-MG , por 2 a 1. Quatro acusados prestaram depoimento e foram liberados, nesta segunda-feira, mas ainda respondem a processo por lesão corporal.

Corinthians ainda é o líder do Brasileirão. Veja a tabela

O trio de arbitragem da Federação Gaúcha de Futebol foi abordado pelos agressores no saguão de desembarque do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, quando fazia conexão para seu destino final. Os torcedores estariam no mesmo voo que trouxe os profissionais de Uberlândia para a capital paulista.

"Levei um pontapé na perna e um soco no relógio. Nada que machucasse. Mas, pior do que a agressão física, é a moral, quando te tiram o direito de ir e vir", lamentou Altemir Hausmann, em entrevista ao "SporTV".

Leia também: Tite reconhece jogo ruim, mas se defende: "Aqui não tem cagalhão"

O Corinthians emitiu uma nota de repúdio à violência em seu site oficial. Os torcedores do clube ficaram revoltados com o pênalti assinalado a favor do América-MG no domingo, que culminou no primeiro gol do jogo. O time paulista empatou também da marca da cal, porém voltou a ser vazado no segundo tempo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.