Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Aeroporto preocupa mais Curitiba

Novo secretário paranaense para assuntos do Mundial avalia que cronograma da Arena da Baixada está bem

Altair Santos, iG Curitiba |

O novo secretário do Paraná para assuntos da Copa do Mundo de 2014, Mário Celso Cunha, acredita que as 12 subsedes do Brasil não irão se sustentar. Na avaliação dele, a Fifa deve reduzir o número de cidades escolhidas para receber jogos do Mundial. “Acho que pelo menos duas cidades estão em risco, ou mais. Ao contrário de Curitiba, algumas ainda não têm projetos definidos”, disse, sem citar quais subsedes estão ameaçadas.

Segundo Mário Celso Cunha, o maior problema da capital paranaense para a Copa 2014 será viabilizar o aeroporto Afonso Pena para o Mundial. O terminal aéreo, localizado em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, precisa de uma terceira pista, cujos recursos não estão garantidos. “Foi disponibilizada pouca verba federal para investir no Afonso Pena. O que está programado é a ampliação do terminal de cargas e também do terminal de passageiros. Mas não existe uma previsão para a terceira, cujas obras vão chegar a 320 milhões”, estima.

Sobre a Arena da Baixada - estádio do Atlético Paranaense escolhido para sediar os jogos da Copa, em Curitiba -, o secretário avalia que o cronograma está bem encaminhado. “A Arena tem 80% dela construída. Para o início do ano que vem, o Atlético abrirá licitação para a construção do restante das obras, que devem começar em maio ou junho. A conclusão do estádio será muito mais rápida do que em outros estádios”, afirma.

Para viabilizar a reforma da Arena da Baixada, o poder público reservou R$ 90 milhões e o Atlético deverá entrar com outros R$ 45 milhões. Mário Celso Cunha acredita que os recursos serão suficientes para finalizar o estádio. “Naturalmente que será a construtora que vai arcar com este compromisso, mas isso tudo é fruto do edital. Enquanto não se fizer o edital de licitação nós não saberemos até onde avançar. Pode custar 90 milhões como pode custar R$ 70 milhões. A margem de investimento da nossa parte é de até 90 milhões”, explica.

O secretário paranaense acredita que a subsede Curitiba pode atrair jogos de seleções importantes, por sua posição estratégica. “Temos países vizinhos, como Argentina e Paraguai, além de grande identidade cultural com Itália, Polônia e Alemanha. Então, se essas seleções participarem da Copa do Mundo serão seleções que poderão vir”, avalia. A Arena da Baixada, com seus 41.135 lugares, quando ficar pronta para a Copa, estará credenciada para receber jogos até as quartas-de-final. O estádio também está habilitado para sediar partidas da Copa das Confederações, em 2013.
 

Leia tudo sobre: Copa 2014Curitiba

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG