Clube alvinegro passa a ter direito a 45% do que for faturado pelo estádio nos próximos dez anos

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Presidente do Atlético, Alexandre Kalil, deixou a reunião bastante satisfeito com o resultado
Maior polêmica do futebol mineiro nos últimos anos, o contrato entre Atlético-MG e Arena Independência (BWA) para a exploração comercial do estádio foi analisado e aprovado pela Advocacia Geral do Estado de Minas Gerais. Assim, quando entregue à empresa vencedora da licitação para exploração do local pelos próximo dez anos, o Atlético-MG vai participar nos lucros do estádio.

Veja também: Confira a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

Se a decisão agradou aos atleticanos, não deixou os cruzeirenses felizes. O presidente do clube celeste, Gilvan de Pinho Tavares, deixou a reunião que aconteceu nesta sexta-feira na sede do Ministério Público Estadual antes do término. O mandatário do Cruzeiro deixou o local pelas portas do fundo, sem conversar com a imprensa.

Leia também: Obras no Independência atrasam e entrega fica para fim de março

Já a Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, apenas repetiu o que havia dito alguns dias atrás . Como previsto em contrato, vai ser no Independência que o time alvinegro vai mandar suas partidas, mesmo depois da reabertura do Mineirão.

Siga o Twitter do iG Atlético-MG e receba notícias do time em tempo real

“O Atlético fez um bom negócio e estou satisfeito de ter feito um bom negócio para que o Atlético tenha mais dinheiro, seja mais rentável, mais competitivo. Agora, o torcedor do Atlético tem um lugar fixo para frequentar, está tudo certinho, tudo tranquilo, por isso ficamos horas e horas debatendo o assunto, que é comercial”.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O contrato entre Atlético-MG e BWA, no entanto, vai sofrer pequenas alterações. Segundo o mandatário alvinegro não é nada que afete o que estava estabelecido. Assim, o clube alvinegro tem participação em 45% do faturamento do estádio. “A parte comercial do Atlético ficou intocada. O Atlético tem 45% de tudo que for explorado no estádio. São palavras que vão mudar. O Atlético não administra nada, só vai pôr uma consultoria para tratar do direito comercial e acho que fizemos um bom negócio, demos um passo à frente”, completou Alexandre Kalil.

Mudanças

Pela licitação, nenhum clube ou pessoa ligada ao futebol pode participar da administração do estádio. Vencedora da licitação, a BWA vai ser a empresa responsável por administrar o Independência pelos próximos dez anos. No contrato de parceria comercial com o Atlético-MG, uma cláusula vai ser alterada para evitar qualquer tipo de dúvida sobre quem comanda o local.

“O Atlético não terá nenhuma administração, interferência na administração do estádio, preservando todo o direito do América. Esse acordo comercial firmado pelo Atlético é previsto na legislação civil e ele não interfere no edital, na licitação e nos direitos do América”, disse Marco Antônio Romanelli, advogado geral do estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.