Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Adversários, Júlio César e Rafael se inspiram em dupla de rivais

Titulares de Corinthians e Santos, goleiros tentam tomar o mesmo caminho de Rogério Ceni e Marcos

Bruno Winckler e Samir Carvalho, iG Esporte |

Uma coincidência une os quatro grandes clubes paulistas neste início de temporada. Todos têm debaixo de suas traves um goleiro titular formado nas categorias de base do próprio clube. Domingo, o Corinthians de Júlio César e o Santos, de Rafael, se enfrentam com estes dois jovens goleiros tentando alcançar o que os rivais Rogério Ceni e Marcos já conquistaram em São Paulo e Palmeiras: a idolatria do seu torcedor.

Tanto Júlio César, de 26 anos, como Rafael, de 20, estão há menos de um ano como titulares absolutos de suas equipes. E ambos não escondem que se espelham na trajetória de sucesso destes dois ídolos, campeões com a seleção brasileira na Copa de 2002, para trilhar seus caminhos.

“Sempre fui fã do Rogério Ceni e do Marcos. Eles são fantásticos. Trabalharam muito para chegar onde estão, são unânimes nos clubes e isso por si só serve como referência. Além disso são ótimas pessoas”, disse Júlio César, que mesmo depois de seis anos no time profissional, tem apenas 62 jogos pelo clube. Ele se tornou titular em junho de 2010, depois da saída de Felipe para o Braga, de Portugal.

AE
Julio Césas já tem 62 jogos pelo Corinthians. Ele assumiu a camisa 1 em junho.
Rafael assumiu o gol do Santos na mesma época de Júlio César no Corinthians, na sexta rodada do Brasileiro de 2010, após algumas falhas de outro Felipe, que foi o titular do gol do Santos até as semifinais da Copa do Brasil. Desde então, o clube contratou outro goleiro, Aranha, mas Rafael, apesar de contestado após algumas falhas neste Paulistão, segue em alta no clube. Rafael já tem 48 jogos pelo Santos.

Rogério Ceni, com 957 jogos pelo São Paulo, e Marcos, com 509 participações pelo Palmeiras, são referência aos outros goleiros. Júlio César ainda lembra outro goleiro, o corintiano Ronaldo, que defendeu a meta do time do Parque São Jorge por 602 entre 1988 e 1998.

“O Ronaldo é meu grande ídolo. Faço tudo para repetir o que ele fez no Corinthians. Sei que o caminho é longo. Demorei para conseguir ser titular e agora vou ter que provar em todo jogo que mereço a confiança da comissão técnica e da diretoria”, disse o goleiro corintiano.

Gazeta Press
Rafael será titular do Santos mais uma vez no clássico contra o Corinthians
Já Rafael cita outros goleiros que criaram identidade em grandes clubes europeus para se firmar no gol santista. “Os goleiros que mais inspiram o meu jeito de jogar são o Julio César (Inter de Milão) e o Casillas (Real Madrid). O Petr Cech (Chelsea) também. Todos têm grandes carreiras nos seus clubes e claro que servem como inspiração”, disse Rafael.

No clássico deste domingo, em mais um grande jogo, Júlio César e Rafael terão outra oportunidade de se firmar na meta de suas equipes. A responsabilidade dos dois será ainda maior porque defenderão além da boa fase que atravessam, a invencibilidade de suas equipes no Paulistão.

Leia tudo sobre: corinthianssantoscampeonato paulista 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG