Tamanho do texto

Treinador acredita que Luis Fabiano e a manutenção de Lucas no time podem levar o clube paulista ao hepta

AE
Apesar das críticas da torcida, treinador procura motivos para se manter otimista no comando do São Paulo
Até agora, sob o comando de Adilson Batista , o São Paulo somou 43,7% dos pontos que disputou no Campeonato Brasileiro , com seis vitórias, nove empates e quatro derrotas. Baseado na campanha do título em 2008, usada como exemplo para o clube ser campeão novamente, será necessário quase o dobro de eficiência (85,18%), com sete vitórias e dois empates até o final do torneio. E o técnico tem na ponta da língua as razões para sonhar.

"A volta do Luis Fabiano , ter o Lucas por um pouquinho mais de tempo aqui, a manutenção e repetição [da escalação], nossas decisões, alertas, cobranças... Além de camisa, torcida. Tudo isso", apontou o comandante, tentando demonstrar otimismo mesmo diante de uma incômoda série de cinco partidas sem vitória que deixa o time em quarto lugar, a três pontos dos líderes.

De sua parte, o treinador tem levado ainda mais tempo ao analisar os vídeos dos jogos com o elenco, reforçando também a necessidade de se recuperar os pontos perdidos em três empates que ainda o revoltam: contra Atlético-GO e Atlético-PR , no Morumbi, e América-MG , em Minas Gerais.

Apesar disso, o treinador ainda consegue se animar com a possibilidade de agora poder contar com Lucas até o início de novembro - quando o jogador deve novamente ser convocado para a seleção brasileira - e torce pelo fim do grande número de lesões do elenco do clube paulista.

Luis Fabiano ainda não marcou no retorno ao São Paulo
Gazeta Press
Luis Fabiano ainda não marcou no retorno ao São Paulo
Soma-se ainda aos fatores de otimismo para o técnico a presença de Luis Fabiano. O centroavante prometeu marcar seu primeiro gol nesta passagem pela equipe até a sua quarta partida, que ocorrerá neste domingo, contra o Atlético-GO , em Goiânia. Oportunidade para ele provar que vale os mais de R$ 17 milhões gastos pela diretoria para contratá-lo em março.

"É só o quarto jogo do Luis Fabiano. O time não tem que se adaptar a ele. E não vejo dificuldades em função dele. Ele já deu duas ou três assistências contra o Cruzeiro e outras duas ou três contra o Inter. Está tranquilo", argumentou Adilson Batista, valorizando os outros homens do setor ofensivo para se imaginar campeão brasileiro em 2011.

"Sem um atacante de referência na área, estávamos pertinho de ser o melhor ataque. Temos jogadores que finalizam, dão assistências e são válvulas de escape como o Dagoberto e o Lucas, ambos inteligentes e ótimos tecnicamente", enalteceu o comandante do quarto ataque mais efetivo do Brasileiro, ao lado do Vasco, com 45 gols em 29 rodadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.