Tamanho do texto

Sem ter feito uma partida sequer como titular do Flu, argentino afirma que prefere jogar como atacante

Nelson Perez/FluminenseF.C.
Martinuccio não teme a concorrência e já disse a Abel que prefere jogar como atacante
Contratado dia 21 de julho, data do 109º aniversário do Fluminense , Martinuccio chegou às Laranjeiras com status de craque e credenciado pelo vice-campeonato do Peñarol na Libertadores de 2011. Porém, protagonista de uma batalha jurídica entre o atual campeão brasileiro e o Palmeiras , o atacante está devendo e ainda não foi nem sombra do jogador insinuante que levou o time uruguaio à final da competição sul-americana contra o Santos .

Entre para a torcida virtual do Fluminense e convide os seus amigos

Como atenuante, Martinuccio tem o pouquíssimo tempo em campo a seu favor. Sem nunca ter começado uma partida sequer como titular de Abel Braga , o atacante não desanima e segue trabalhando firme à espera de uma oportunidade.

“Estou há quase dois meses no Rio de Janeiro e já estou adaptado à cidade e ao calor carioca. Fui muito bem recebido por todos no clube e agora só falta uma oportunidade para jogar. Mas estou tranquilo e quero estar 100% para quando o técnico Abel precisar de mim”, afirmou o jogador.

Veja a classificação e a tabela de jogos do Brasileirão

Apesar de ter usado a camisa 10 do Peñarol durante a Libertadores, Martinuccio não se importa com a concorrência e diz que prefere jogar mais adiantado. Talvez por isso o compatriota Lanzini , de apenas 18 anos e que chegou às Laranjeiras como contrapeso, tenha tido mais chances com a camisa do Fluminense.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

“O Abel sabe como prefiro jogar. A expectativa é muito grande, mas o grupo do Fluminense é muito qualificado e tem muitas opções para o ataque. Não me sinto melhor nem pior do que nenhum deles. O Lanzini é um jovem de muito talento e ainda tem muito a dar ao Fluminense”, explicou o argentino, que apesar de só arranhar o português parece cada vez mais ambientado no elenco tricolor.

“Fui bem recebido e me dou em como todo mundo. Mas tenho mais afinidade com Lanzini, Rafael Moura , Rafael Sobis e o Deco , que também fala bem o espanhol”, concluiu o atacante argentino.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.