Corinthians, MP e a Prefeitura de São Paulo fecharam acordo para clube pagar R$ 12 mi em contrapartidas sociais

Divulgação
Maquete do estádio corintiano, em Itaquera
Foi assinado nesta quarta-feira um acordo entre Corinthians, Ministério Público e Prefeitura de São Paulo para viabilizar o início das obras do estádio em Itaquera. O clube terá que pagar R$ 12 milhões, que serão convertidos em contrapartidas sociais. O acordo será homologado pela Justiça nos próximos dias.

"Essas contrapartidas são de assistência a pessoas carentes, idosos, principalmente na área da saúde. Mas os detalhes ficam com a prefeitura", afirmou ao iG o promotor José Carlos Freitas, do Ministério Público do Estado de São Paulo. "Em caso de o Corinthians descumprir os termos desse acordo, podemos reabrir o caso, mas creio que a novela acabou hoje", completou.

A ação a que o Corinthians está sendo alvo pelo Ministério Público ocorre porque o clube não cumpriu o acordo inicial para a construção do estádio no terreno de Itaquera, cedido em 1988. Segundo o MP, o Corinthians deveria ter construído sua arena em, no máximo, cinco anos.

Com o acordo, o Corinthians poderá colocar em ação o seu plano para apressar a construção do Fielzão, especialmente para não pegar a temporada de chuvas em São Paulo, que começa em dezembro . O estádio foi escolhido pela Fifa para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014 em São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.