Emissora teria oferecido menos do que concorrentes. Conselho Fiscal exige acesso ao contrato, que já está no Deliberativo

O anúncio do acerto com a Globo para transmissão dos jogos do Flamengo no triênio 2012/13/14 começa a gerar um impasse entre os poderes do clube. O Conselho Fiscal ainda não recebeu a proposta, que está com o presidente do Conselho Deliberativo, o desembargador Sílvio Capanema, desde segunda-feira. Ocorre que o valor oferecido pela emissora seria inferior ao de outras propostas, como a da Record, que divulgou sua oferta de R$ 100 milhões por temporada apelas pela transmissão em TV aberta .

Twitter do iG Esporte: Notícias, vídeos e opinião

Presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro afirmou que a ordem foi invertida. “Primeiro o Conselho Fiscal deveria receber o documento, fazer um parecer e aí sim encaminhar ao Deliberativo. Estamos solicitando o contrato que será apreciado pelos conselheiros”, disse.

De acordo com Ribeiro, ainda há outra questão mal explicada e que pode criar problemas, apesar de o Cade ter autorizado a negociação independente dos clubes com as emissoras, contrariando o Clube dos 13 . “Há a informação de que o Flamengo deu uma procuração ao Clube dos 13 para falar em nome do clube. Então, se isso existe, tem de ser revogado para que não haja problemas. O Clube dos 13 assinou com a Rede TV, o Cade disse que o Flamengo e todos os demais clubes podem negociar de forma independente, mas se existe essa procuração, tem de ser revogada”, explicou.

O valor da proposta da Globo ao Flamengo é desconhecido . Nos corredores da Gávea, fala-se em R$ 84 milhões em contrato que também contemplaria os direitos de transmissão em TV a cabo. O Conselho Fiscal pretende levar todas as propostas para apreciação do Deliberativo, tão logo possua os dados oficiais. “Os conselheiros têm de ter conhecimento de tudo o que foi oferecido”, justificou Ribeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.