Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Abel chega nesta terça e vai encontrar um Flu mais organizado

Vice de futebol, Sandro Lima trouxe melhorias e devolveu a sensação de comando aos jogadores

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Quando Abel Braga revelou no ar, durante um programa de televisão, no dia 23 de março, um acerto verbal com o presidente Peter Siemsen para dirigir o Fluminense, o clube das Laranjeiras vivia um caos político e administrativo após o inesperado pedido de demissão de Muricy Ramalho. Sem treinador, vice de futebol e, principalmente, sem comando, o departamento de futebol do atual campeão brasileiro era um barril de pólvora pronto para explodir a qualquer momento.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Dois meses e dezesseis dias se passaram e a dois dias de ser finalmente apresentado como novo técnico do Fluminense, Abel Braga chega nesta terça-feira ao Brasil e vai encontrar um clube diferente. Longe do ideal e ainda em alerta, é verdade, mas com um novo vice-presidente de futebol, na oitava posição do Campeonato Brasileiro após duas vitórias consecutivas e um pouco menos tumultuado.

Há menos de um mês na vice-presidência de futebol, Sandro Lima trouxe melhorias, devolveu a confiança e uma sensação de comando aos jogadores, mas não acabou com os problemas políticos que ainda agitam os bastidores do clube e tampouco de falta de estrutura e planejamento.

Planejamento esse quebrado com a saída inesperada de Muricy Ramalho. À espera do novo comandante, que à época tinha contrato em vigor com o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, e só poderia se apresentar em junho, coube a diretoria do Fluminense contratar Enderson Moreira para tentar apagar o incêndio e ser uma espécie de auxiliar técnico permanente.

Desconhecido do grande público, o ex-treinador do time B do Internacional chegou em meio a um tiroteio político e disposto a trabalhar. Após estrear com uma vitória importantíssima diante do América-MEX, por 3 a 2, o novo comandante ganhou fôlego com a classificação às oitavas-de-final da Libertadores, a simpatia de parte do elenco, mas não resistiu às eliminações precoces no Campeonato Carioca e na competição sul-americana diante do Libertad.

Diante desse quadro, não havia outra opção à diretoria tricolor em seguir em frente e esperar pela chegada de Abel Braga. Após passar uma semana em Abu Dhabi traçando um novo planejamento para a disputa do Brasileirão com o novo treinador, Sandro Lima tentou preparar o terreno para o novo treinador ter tranquilidade para trabalhar.

Gazeta Press
Abel Braga marcou retorno ao Fluminense pouco após a saída de Muricy

“Tivemos que reestruturar isso aqui. Ficamos três meses sem treinador. Com a chegada do Abel vamos reestruturar a parte técnica e de campo. Depois vamos buscar um gerente para me ajudar a resolver os assuntos que dizem respeito ao futebol e para os jogadores não ficarem sem referência. Eu acho que já temos que começar a preparar o elenco de 2012 agora junto com a comissão do Abel”, explicou Sandro Lima.

O vice presidente de futebol do Fluminense revelou ainda que a ideia é fazer um trabalho de médio a longo prazo e manter Abel Braga e sua comissão até fim da gestão de Peter Siemsen.

“Eu acho que a chegada do Leomir uma semana antes foi importante para preparar a chegada dele. Nós queremos que ele se preocupe apenas com o campo. O contrato do Abel vai até 2012, com possibilidade de renovação de mais um ano. Nosso ideia é que ele termine essa primeira gestão do Peter no comando do Fluminense. Não queremos mais nos preocupar com treinador”, disse o vice de futebol.

“Entre para a Torcida Virtual do Fluminense e convide seus amigos”

Se fora de campo Abel deve encontrar um clube novamente nos trilhos, dentro de campo a situação parece ainda melhor. Após as vitórias sobre o Atlético-GO, por 1 a 0, fora de casa, e sobre o Cruzeiro, por 2 a 1, no Engenhão, o time parece ter recuperado a confiança fundamental na conquista do título de 2010.

Responsável por comandar a transição entre Muricy Ramalho e Abel Braga, Enderson Moreira lamenta que o novo comandante não assuma o clube numa final de Libertadores, mas acredita que ele terá tudo para realizar um ótimo trabalho com o atual elenco do Fluminense.

“Eu nunca tive limitação para desenvolver meu trabalho diário, mas como treinador efetivo você pensa mais alto, a longo prazo e isso o Abel vai poder fazer. O Fluminense infelizmente não chegou numa situação que a gente não gostaria, disputando uma final de Libertadores, mas o Abel vai ter tempo de montar a equipe da maneira dele. Eu tentei ajudar ele nessa transição da melhor maneira que eu pude”, explicou o ex-técnico interino, que ainda não sabe qual será sua função quando Abel assumir.

Enderson Moreira reconhece que o Fluminense ainda está longe de ter a estrutura que merece, mas afirma que Abel encontrará um clube mais organizado e bem mais estruturado do que há três meses.

“Com certeza a chegada do Sandro Lima trouxe benefícios. Sem dúvida de que essas questões de um gerente de futebol e de um vice são importantíssimas num clube de futebol. Não são cargos figurativos, são funções necessárias. Tivemos colaboração de muitas pessoas naquela situação em que o clube se encontrava, mas não era a situação adequada. Tenho certeza que nesse sentido o Abel vai chegar com a coisa muito mais encaminhada e com a contratação de um gerente eu acho que o Fluminense fecha o departamento e vai poder desenvolver o trabalho com mais tranqüilidade”, afirmou Enderson, que nega problemas de relacionamento dentro do grupo.

“Ele vai encontrar um grupo ótimo. O ambiente é bom, todos se dedicam, se respeitam e se propõem a fazer tudo aquilo que nós pedimos”, concluiu.

Agora é esperar para ver do que Abel Braga será capaz à frente do campeão brasileiro.
 

Leia tudo sobre: Brasileirão 2011FluminenseAbel Braga

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG