Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"A eleição está ganha", diz presidente do São Paulo após festa

Apresentação de Luis Fabiano teve clima de comício. Pleito será em abril e Juvenal Juvêncio vai concorrer

Levi Guimarães e Paulo Passos, iG São Paulo |

Ele apareceu menos que Luis Fabiano e Rogério Ceni, é verdade. Porém, o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, esteve longe de ser um coadjuvante na festa armada pelo clube para receber o atacante e homenagear o goleiro na noite de terça. A um mês da eleição, o cartola aproveitou a festa para fazer um comício no Morumbi e no final admitiu o papel de candidato: “A eleição está ganha”, afirmou.

Mesmo antes de Luis Fabiano pisar no gramado do Morumbi, Juvenal já havia sido citado. O primeiro a falar o nome do dirigente foi o puxador da escola de samba da torcida organizada Independente. Antes e depois de tocar no palco do meio do gramado, o cantor agradeceu o cartola.

Logo depois, o mestre de cerimônia, o apresentador Cesar Filho, deu os parabéns à direção do clube. Quando os dirigentes subiram no palco para receber Luis Fabiano, Juvenal Juvêncio puxou a fila.

Antes da estrela da noite aparecer, um vídeo seu foi exibido. Nele, Luis Fabiano simulava uma conversa por telefone, onde dizia que não aceitaria convite de outro clube do Brasil. “Se for para voltar, é o São Paulo. Ta difícil, fala com o Juju (apelido do presidente são-paulino) que ele resolve”, dizia.

Com Luis Fabiano no palco, Juvenal Juvêncio pegou o microfone e se dirigiu aos mais de 40 mil torcedores presentes no Morumbi. “Esse comparecimento marca uma data histórica no concerto do futebol nacional, quiçá mundial, na apresentação de um atleta que reingressa nas cores tricolores”, disse.

O discurso não pareceu empolgar a torcida, que durante a fala, aproveitou para xingar o Corinthians e até mesmo a Rede Globo. Com Juvenal, o São Paulo é um dos times que se mantêm fieis ao Clube dos 13 na briga com a emissora.

Após a festa, o cartola falou com os jornalistas. “Você quer falar da eleição? Não vou falar”, respondeu a um repórter que perguntou sobre o pleito. Depois disse rindo: “A eleição está ganha. Se eu for candidato, ganho, de tal sorte como nunca se viu neste país”.

Pleito polêmico

Há cinco anos no cargo, Juvenal Juvêncio tenta vencer a terceira eleição seguida. A polêmica em relação à nova candidatura acontece porque mesmo o novo estatuto proíbe duas reeleições seguidas.

Os oposicionistas defendem que Juvenal não poderia sequer concorrer novamente ao cargo. A ala de conselheiros que apóia o dirigente, por outro lado, argumenta dizendo que esta seria sua primeira reeleição. Segundo eles, o primeiro mandato, por ainda ter siso regido sob o antigo estatuto, não deveria ser considerado.
VIPCOMM
Presidente são-paulino entrega camisa para atacante na apresentação


Por enquanto, os argumentos da oposição parecem não ter força suficiente para desbancar Juvenal. Uma chapa concorrendo contra ele dificilmente teria sucesso nas eleições, marcadas para abril. Um possível novo mandato, que se estenderia até 2014, teria como principal “missão” tentar recolocar o Morumbi como sede da Copa no Brasil.
 

Leia tudo sobre: São PauloJuvenal JuvêncioLuis Fabiano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG