Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

À deriva, Cruzeiro acumula problemas na reta final do Brasileirão

Presidente ausente, técnico perdido, craque machucado e grupo abalado psicologicamente explicam crise

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Vipcomm
Cruzeiro precisará se virar sem Montillo nas próximas rodadas
De favorito ao título do Brasileirão no começo do torneio a forte candidato ao rebaixamento. Nem mesmo o mais pessimista dos torcedores do Cruzeiro poderia imaginar um final de Brasileirão tão sofrido, com séria ameaça de disputar à Série B em 2012. O que mais preocupa é que, em meio à crise, o time parece desnorteado, sem líderes ou comandantes capazes de guiar uma volta por cima nas cinco rodadas finais.

Cruzeiro está na zona de rebaixamento. Veja a classificação do Brasileirão

A falta de comando fica clara no momento político do clube mineiro. O presidente Zezé Perrella vive em Brasília depois que assumiu a vaga de Senador e não se manifesta sobre a atual situação. Gilvan de Pinho Tavares, que assume a presidência celeste em janeiro do ano que vem, é quem dá entrevistas e tenta "apagar o incêndio".  Depois da humilhante goleada no Engenhão, Gilvan de Pinho Tavares disse que não trocará de treinador. "Mudamos de treinador recentemente e nenhum dos que já tivemos fez nosso time decolar. São outros detalhes que vão nos tirar dessa situação em que estamos", afirmou.

Leia também: Torcida do Cruzeiro protesta no aeroporto e time sai pelos fundos

Mas não parece ser fácil descobrir quais seriam esses detalhes destacados pelo cartola. O técnico Vágner Mancini ainda não encontrou um time titular ideal e aposta em mudanças de esquema tático que não trazem resultados. Contra o Flamengo, optou por três zagueiros e viu seu time ser atropelado. Na coletiva depois da partida, procurou não apontar culpados pela má fase do time.

Veja também: Diretoria do Cruzeiro descarta troca de treinador na reta final

"A gente não tem de ficar apegado a isso agora, botar a culpa em A, B ou C. O trabalho ainda não terminou, então temos de ser inteligentes nesta hora. Não podemos jogar a culpa em A, B ou C", disse o treinador cruzeirense.

Todavia, os jogadores parecem temer serem crucificados. O goleiro Fábio, que falhou nitidamente na partida contra o Flamengo, é o capitão e jogador há mais tempo no time. Fábio pediu divisão de responsabilidades pelo fiasco no Engenhão. "Sofremos a pressão e os gols. Mas a responsabilidade tem que ser dividida. A minha responsabilidade eu assumo totalmente", disse o camisa 1.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba notícias do seu time em tempo real

E a situação pode piorar, já que o meia Montillo, craque do time, é desfalque nas próximas rodadas. Além de ter caído de produção com problemas particulares (seu filho caçula tem saúde debilitada), o jogador foi excluído das cobranças de penalidades e está com uma contusão muscular na coxa esquerda. "O time depende demais do Montillo. Temos que procurar depender dele o menos possível", reconheceu o zagueiro Victorino, antes mesmo da lesão do companheiro de time.

Já na base do desespero, o técnico Vágner Mancini cobra mais atitude de seus comandados. "Não dá para se entregar. Claro que tudo vai ficando mais difícil, mas precisamos resgatar a autoestima. Mas não vamos vencer apenas com palavras, as atitudes têm que ser fortes", ressalta.

A comissão técnica decidiu evitar a pressão dos torcedores na semana que antecede a partida contra o Internacional e optou por viajar para Atibaia (SP). A delegação segue para a cidade paulista nessa terça-feira e retorna apenas no sábado.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente a crise do time mineiro

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG