Zagueiro Luiz Otávio teria pegado uma suspensão de três partidas e não poderia enfrentar o Lanús. Ele, inclusive, fez o gol da vitória por 2 a 1

A Chapecoense está na mira da Conmebol e pode ser eliminada da Libertadores de forma precoce. Isso porque a entidade máxima do futebol sul-americano avisou que abrirá um processo de investigação para analisar a possível escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio na partida contra o Lanús, na Argentina, quarta-feira passada.

Leia também: "Ão, ão, ão, abastece o avião": Torcedores do Criciúma ofendem a Chapecoense

O defensor, inclusive, foi o autor do gol da vitória da Chapecoense por 2 a 1, anotado aos 43 minutos do segundo tempo. Logo após o duelo, o clube argentino entrou com uma ação reclamando que o jogador não poderia atuar por estar suspenso.

Luiz Otávio, zagueiro da Chapecoense, pode ter atuado de forma irregular
Conmebol / Divulgação
Luiz Otávio, zagueiro da Chapecoense, pode ter atuado de forma irregular

Caso seja comprovada a irregularidade, o placar deste duelo mudaria para derrota por 3 a 0, de acordo com o estatuto disciplinar, e a Chape não teria mais chances de classificação às oitavas de final. O time atualmente ocupa a terceira colocação do grupo 7 da competição com 7 pontos e só precisa vencer o lanterna Zulia em casa, na última rodada, para avançar.

O caso

O Lanús considera que Luiz Otávio não poderia ter jogado porque recebeu um gancho de três partidas por conta da expulsão na derrota diante do Nacional-URU, na partida anterior da competição. O clube catarinense alega que não foi comunicado dessa punição e avisa que o zagueiro cumpriu a suspensão automática na final da Recopa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, disputada na semana passada.

Leia também: Família do técnico Caio Júnior quer R$ 30 milhões de indenização da Chape

Ainda na Argentina, Plínio David de Nês Filho, presidente da Chape, disse ter provas de que o clube não recebeu e-mail ou qualquer comunicado sobre a punição de três jogos aplicada ao seu jogador. "Não houve aviso oficial ao clube em nenhum momento e temos provas disso, tanto é que estamos tranquilos por essa razão", disse o cartola.

"Me comunicaram dois minutos antes da partida que não poderíamos colocar o Luiz Otávio em razão de um problema que não foi sequer julgado. É um absurdo. Foi um aviso sem nenhuma legalidade maior, a não ser verbal", finalizou Maninho, o apelido do presidente.

Leia também: Betinho, primeiro jogador profissional da Chape, morre aos 63 anos

A presença de Luiz Otávio entre os titulares da Chapecoense ficou sob suspense até o começo da partida, quando o delegado da partida avisou a comissão técnica ainda no vestiário. O técnico Vagner Mancini considerou a possibilidade de retirar o jogador do duelo, mas decidiu mantê-lo entre os 11 iniciais, em decisão bancada pelo presidente.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.