"As únicas equipes que prestaram ajuda na prática ao clube foi o Barcelona e a Roma", contou o presidente da Chapecoense, David Plínio de Nes

O presidente da Chapecoense, David Plínio de Nes, revelou esta semana que somente duas equipes do exterior ajudaram o clube após o trágico acidente aéreo que matou boa parte do elenco e dos dirigentes, além de tripulantes e jornalistas.

Leia também: Três meses depois do acidente, "Anjo da Chape" ganha nova casa

"As únicas equipes que prestaram ajuda na prática ao clube foi o Barcelona e a Roma. O Barcelona, inclusive, foi nosso companheiro desde o início. Colocou dinheiro à nossa disposição. Em agosto nos convidou para disputar o Troféu Joan Gamper e a renda será dividida com a Chapecoense ", afirmou o presidente durante entrevista ao canal de televisão "Fox Sports Argentina".

David Plínio de Nes, presidente da Chapecoense, revelou que só recebeu ajuda de Barcelona e Roma no exterior
Sirli Freitas
David Plínio de Nes, presidente da Chapecoense, revelou que só recebeu ajuda de Barcelona e Roma no exterior

De acordo com Plínio de Nes, a Roma também se ofereceu para disputar um jogo contra a Chape, o que, por enquanto não será possível fazer. "A Roma também nos ofereceu um jogo, mas temos um calendário extenso de competições. Teremos quase três jogos por semana", afirmou.

Leia também: Camisa de time da Costa Rica é eleita mais bonita do mundo; Chape fica em sexto

Durante o programa, o mandatário da Chape relebrou os quatro meses do desastre e agradeceu toda ajuda que recebeu. "Eu sou grato a todos aqueles que ajudaram de uma maneira ou de outra. Todos mostraram ser solidários com nós", ressaltou Plínio de Nes.

O avião que levava o elenco da Chape, com dirigentes e jornalistas, para disputar a decisão da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional caiu no dia 29 de novembro nos arredores de Medellín, na Colômbia, onde aconteceria a partida. A fatalidade causou a morte de mais de 70 pessoas.

Leia também: Bar temático em homenagem à Chapecoense é aberto em Medellín

Reconstrução

Pelo título da Copa Sul-Americana de 2016, a Chapecoense garantiu presença na Conmebol Libertadores de 2017. Até aqui, disputou dois jogos pelo Grupo 7, que mostrou-se muito equilibrado. Na primeira rodada, venceu o Zulia, da Venezuela, por 2 a 1, fora de casa, já na estreia em casa, diante do Lanús, da Argentina, saiu na frente, mas levou a virada e saiu derrotada por 3 a 1. Pelos critérios de desempate, ocupa a quarta colocação, mas todos do grupo estão com três pontos. A equipe disputa ainda o Campeonato Catarinense e estará no Campeonato Brasileiro, a partir de maio.

    Leia tudo sobre: Futebol