Mais de 80% dos jogadores no Brasil ganham menos de R$ 1 mil de salário

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Levantamento divulgado pela CBF mostrou que mais de 28 mil jogadores têm contratos profissionais no País, mas os vencimentos em carteira são pequenos na maioria dos casos

Sede da CBF, entidade do futebol brasileiro
CBF/Divulgação
Sede da CBF, entidade do futebol brasileiro


A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) faz um levantamento inédito através da sua DRT (Diretoria de Registro e Transferências) e divulgou nesta terça-feira alguns "números que ajudam a entender as atividades do a realidade do futebol brasileiro", segundo a própria entidade.

E MAIS
Líder da 2ª divisão de Portugal não poderá subir à elite mesmo se for campeão

Os dados deste documento foram divididos em três partes: registro, transferências e salários. Neste último quesito, os valores registrados nos contratos de trabalho dos atletas que atuam no futebol brasileiro mostram a disparidade do esporte por aqui.

São poucos os que assinam contrato com alto valor em carteira
Reprodução
São poucos os que assinam contrato com alto valor em carteira

Segundo o relatório, mais de 80% dos jogadores recebem até R$ 1 mil de salário, enquanto outros 13% recebem seus vencimentos dentro da faixa salarial de R$ 1 mil a R$ 5 mil. Sem citar nomes, o levantamento mostra que apenas um atleta em todo território nacional foi registrado com o salário acima de R$ 500 mil.

Em 2016, o valor do salário mínimo no País foi reajustado para R$ 880,00.

Vale sempre lembrar que esses valores são os que constam no contrato de trabalho. É bastante comum no Brasil os clubes dividirem o salário do jogador em um montante na carteira assinada e outro por fora de direitos de imagem - e nesse último é onde entra a maior parte do valor em muitos casos, principalmente de atletas mais badalados e caros.

Confira os números:

Salários de até R$ 1 mil - 23.238 jogadores - equivalente a 82,40% do total
Salários entre R$ 1 mil e R$ 5 mil - 3.859 jogadores - equivalente a 13,68% do total
Salários entre R$ 5 mil e R$ 10 mil - 381 jogadores - equivalente a 1,35% do total
Salários entre R$ 10 mil e R$ 50 mil - 499 jogadores - equivalente a 1,77% do total
Salários entre R$ 50 mil e R$ 100 mil - 112 jogadores - equivalente a 0,40% do total
Salários entre R$ 100 mil e R$ 200 mil - 78 jogadores - equivalente a 0,28% do total
Salários entre R$ 200 mil e R$ 500 mil - 35 jogadores - equivalente a 0,12% do total
Salário acima de R$ 500 mil - 1 jogador - equivalente a 0% do total

Confira outros dados:

REGISTRO / BALANÇO DE 2015

Contrato / Definitivo - 28.203
Vínculos Não Profissionais - 22.782
Contrato / Empréstimo - 1.674
Rescisão de Contrato - 7.973
Rescisão Judicial - 131
Transferências Nacionais - 14.331
Clubes Profissionais - 776
Clubes Amadores - 435
Clubes Formadores - 27
Atletas Estrangeiros - 83
Intermediários - 115

REGISTRO ATIVO / JANEIRO DE 2016

Contratos Ativos - 11.571
Vínculos Não Profissionais - 18.341
Clubes Formadores - 42
Atletas Estrangeiros - 56

TRANSFERÊNCIAS / 2015

BRASIL PARA O EXTERIOR
Atletas Amadores - 232
Atletas Profissionais  (TMS) - 771
Atletas Profissionais Como Amadores (sai do Brasil como profissional para atuar como amador em outro país) - 209
Total - 1.212
Transferências com valores - 99
Valor total - R$ 679.740.600,00 

EXTERIOR PARA O BRASIL
Atletas Amadores - 68
Atletas Profissionais  (TMS) - 580
Total - 648
Transferências com valores - 15
Valor total - R$ 114.387.000,00

Leia tudo sobre: CBFBrasileirãoEstaduais

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas