Corinthians jamais conseguiu virada em mata-mata, São Paulo tem sofrido fora de casa e Cruzeiro coleciona decepções no Mineirão. Atlético-MG não terá o Independência diante do Inter, o único com um retrospecto animador

O torcedor do Internacional  é o único do Brasil com razões para chegar otimista à rodada desta quarta-feira da Libertadores. Corintianos, atleticanos, cruzeirenses e até são-paulinos têm motivos para se preocupar. Afinal, o histórico recente desses quatro times sugere que as condições são desfavoráveis para a decisão das vagas nas quartas de final.

Veja como estão os confrontos das oitavas de final da Copa Libertadores 2015

São Paulo x Cruzeiro: histórico derruba ambos
Andre Penner/AP
São Paulo x Cruzeiro: histórico derruba ambos

1 a 0 é pouco. Ou não...

Único brasileiro a vencer o jogo de ida das oitavas de final, 1 a 0 sobre o Cruzeiro , no Morumbi, o São Paulo  terá que decidir no Mineirão. O problema é que o time foi eliminado nas últimas quatro vezes em que decidiu fora de casa contra brasileiros, diante de Inter (2006), Grêmio  (2007), Fluminense  (2008) e Atlético-MG  (2013). 

É bem verdade que em 2006 e 2013 a equipe perdeu o jogo de ida e precisava vencer como visitante. Porém, diante de Grêmio e Fluminense o São Paulo fez exatamente o mesmo que agora: venceu em casa por 1 a 0. Em Porto Alegre, em 2007, perdeu por 2 a 0 e caiu nas oitavas de final. Dois anos depois, pelas quartas de final, foi eliminado ao perder o jogo de volta por 3 a 1 no Maracanã.

O que ajuda a animar o são-paulino é que o Cruzeiro não tem sabido decidir no Mineirão. Em 2009, quando foi vice-campeão, passou pelas quartas e pela semifinal decidindo como visitante. Na final, teve a vantagem de fazer o jogo de volta em casa e perdeu por 2 a 1 para o campeão Estudiantes.

Cruzeiro x Estudiantes em 2009: um dos muitos tropeços do time mineiro dentro de casa
Getty Images
Cruzeiro x Estudiantes em 2009: um dos muitos tropeços do time mineiro dentro de casa

O Cruzeiro ainda tem mais três eliminações recentes em casa. Em 2004, caiu nos pênaltis frente ao Deportivo Cali, após perder por 1 a 0 fora e vencer por 2 a 1 em casa. Em 2008, também saiu atrás do Boca Juniors, derrotado por 2 a 1 no jogo de ida, e em casa sofreu outra derrota pelo mesmo placar. Em 2014, perdeu para o San Lorenzo por 1 a 0 na Argentina e não conseguiu a virada em casa. Pior mesmo foi em 2011, quando nem a vitória por 2 a 1 sobre o Once Caldas fora de casa ajudou. Na volta, foi eliminado ao perder por 2 a 0 em casa.

Jogar em casa faz a diferença

Diferente do rival, o Atlético-MG se habituou a grandes viradas nos últimos anos, tanto na Libertadores quanto na Copa do Brasil. Porém, em 2013, ano do título sul-americano, as viradas sempre ocorreram no Independência. Na última vez em que decidiu fora de casa, em 2000, foi eliminado pelo Corinthians justamente por não ter conseguido ganhar a primeira partida.

Inter campeão em 2010: forte no Beira-Rio
Vipcomm
Inter campeão em 2010: forte no Beira-Rio

Para aumentar o drama atleticano, a decisão dessa vez será no Beira-Rio, casa do Internacional. E, ao contrário dos compatriotas, o time gaúcho tem o resultado e a história a seu favor.

Nos dois títulos, 2006 e 2010, o Inter decidiu em casa em seis dos oitos mata-matas, e invariavelmente aproveitou bons resultados como visitante no primeiro jogo. Foi assim contra Nacional, Libertad e São Paulo, em 2006, e contra o Chivas, na final de 2010. Naquele ano, ainda usou a força de seu estádio para uma virada emocionante sobre o Banfield, nas oitavas de final. Com os 2 a 2 frente ao Atlético-MG em Minas, a equipe gaúcha terá sua torcida e seu caldeirão para repetir a história.

Feito inédito

Jamais na história da Libertadores o Corinthians  conseguiu uma virada dentro de casa num mata-mata. Ao contrário, coleciona decepções diante de seus torcedores. Contra o River, em 2003, perdeu fora e foi derrotado de novo em casa. A história se repetiu em 2006, contra o mesmo adversário: derrotas na Argentina e em São Paulo. Em 2010, levou 1 a 0 do Flamengo no primeiro jogo, e em casa conquistou uma vitória insuficiente por 2 a 1. Em 2013, mais uma vez perdeu fora de casa, então para o Boca Juniors, e no Pacaembu ficou no empate.

O
Getty Images
O "quase" do Corinthians: Palmeiras comemora vitória nos pênaltis na Libertadores de 1999

Voltando ainda mais no tempo, até um período em que Libertadores era novidade para os Corintianos, aconteceu a primeira eliminação diante dos torcedores. Era 1991, e o Corinthians havia levado 3 a 1 do Boca Juniors na Argentina. No jogo de volta, no Pacaembu, os gringos seguraram o empate por 1 a 1 e saíram de campo classificados. 

No ano do título, 2012, o Corinthians sempre decidiu em casa no mata-mata, devido à boa campanha. E fechou a campanha invicto, sem, portanto, ter precisado correr atrás do resultado em casa. A última vez em que o Corinthians esteve perto de conseguir uma virada foi em 1999, quando levou 2 a 0 do Palmeiras  no jogo de ida e devolveu o resultado na segunda partida. Porém, acabou eliminado nos pênaltis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.