Dados mostram que 20 dos principais clubes do país tiveram perdas de R$ 598 milhões, a maior desde 2003, e boa parte usou mais de 70% do orçamento no departamento de futebol, acima do proposto pela MP do refinanciamento de dívidas

Ponto central de polêmica em Brasília e com previsão para ser votada em julho, a Medida Provisória 671, chamada de Profut e que estabelece contrapartidas de boa gestão aos clubes que aderirem ao novo programa de refinanciamento de dívidas, prevê punições dentro de campo para a agremiação que comprometer mais de 70% de sua receita no departamento de futebol. Se a MP já estivesse em vigor com o texto editado pelo Governo Federal e apoiado nos balanços financeiros de 2014, 15 dos 20 principais times do país corriam sério risco de rebaixamento. Esse é apenas um dos dados alarmantes sobre as finanças dos clubes brasileiros no ano passado, segundo estudo divulgado por Amir Somoggi, consultor de marketing e gestão esportiva.

O custo do departamento de futebol nos clubes em 2014
Reprodução
O custo do departamento de futebol nos clubes em 2014



De acordo com o levantamento, a dívida acumulada por 20 dos principais clubes do país em 2014 foi de R$ 6,3 bilhões, um aumento de 16,8% em relação ao ano anterior. Desde 2003, o endividamento cresceu 528%, enquanto o acumulado da inflação no mesmo período foi de 99%. Por ter gastos maiores do que a arrecadação, as perdas em 2014 foram de R$ 598 milhões, recorde histórico em 12 anos.

Leia também: MP do futebol causa atrito em Brasília e pode resolver problema de um só clube

Rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2014, o Botafogo  é o clube mais endividado do país, segundo o estudo: R$ 845,5 milhões - em 2013, esse valor era de R$ 698,8 milhões.

A dívida acumulada dos clubes em 2014
Reprodução
A dívida acumulada dos clubes em 2014


Os 20 maiores clubes em receitas no Brasil tiveram uma arrecadação conjunta de R$ 3,11 bilhões em 2014, 1,4% a menos em relação ao ano anterior. De acordo com Somoggi, o principal motivo desse baixo desempenho foi a queda do valor recebido em transferências de jogadores - R$ 663 milhões em 2013, contra R$ 405 milhões em 2014. O dinheiro vindo dos direitos de transmissão de TV, no entanto, cresceram: R$ 1,1 bilhão, o que corresponde a 36% das fontes de receitas.

Flamengo passa Corinthians e São Paulo em arrecadação

Em termos de receita total, o Flamengo  foi o clube que mais arrecadou em 2014: R$ 347 milhões, superando o Corinthians , que embolsou R$ 258,2 milhões. Líder do quesito em 2013, o São Paulo  ficou em terceiro, com R$ 255,3 milhões.

Leia: Bom Senso FC volta a atacar calendário “ultrapassado” e propõe alternativa

No período, o Rubro-Negro recebeu mais receitas de patrocinadores (R$ 80 milhões) e de sócios-torcedores (R$ 30 milhões). O Palmeiras  também ganhou mais com programas de fidelidade de torcedores, mas foi o clube que mais lucrou com negociações de jogadores, R$ 61 milhões. Atual bicampeão brasileiro, o Cruzeiro  teve os maiores ganhos com bilheteria no ano passado: R$ 85,8 milhões.

Receita total dos principais clubes do Brasil em 2014
Reprodução
Receita total dos principais clubes do Brasil em 2014


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.